Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:


Sábado, 19 de março de 2011 às 13:51

Um mundo mais multilateral produzirá benefícios à paz e à harmonia entre os povos

Presidenta Dilma Rousseff e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, durante declaração à imprensa. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Obama no Brasil Na declaração à imprensa, por ocasião da visita do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a presidenta Dilma Rousseff reforçou a importância da reforma da governança do Banco Mundial e do FMI, bem como na ampliação do Conselho de Segurança da ONU. Segundo a presidenta Dilma, há uma preocupação com relação à lentidão deste processo.

“Aqui, sr. presidente, não nos move o interesse menor da ocupação burocrática de espaços de representação. O que nos mobiliza é a certeza que um mundo mais multilateral produzirá benefícios para a paz e a harmonia entre os povos.”

A presidenta iniciou o pronunciamento informando que a visita de Obama ao Brasil “me enche de alegria, desperta os melhores sentimentos do nosso povo e honra a histórica relação entre o Brasil e os Estados Unidos”. Segundo ela, a visita “carrega também um forte valor simbólico”.

Os povos de nossos países ergueram as duas maiores democracias das Américas. Ousaram também levar aos seus mais altos postos um afrodescendente e uma mulher, demonstrando que o alicerce da democracia permite o rompimento das maiores barreiras para a construção de sociedades mais generosas e harmônicas.

Ouça abaixo a íntegra do discurso da presidenta Dilma Rousseff.
 

Ainda no pronunciamento, Dilma destacou que dos nove chefes de Estado americanos que estiveram no Brasil, Obama é o presidente que encontra o país “em momento mais vibrante”. A presidenta lembrou também que sucede o presidente Lula “um homem do povo, com quem tive a honra de trabalhar. Seu legado mais nobre foi trazer à cena política e social milhões de homens e mulheres que viviam à margem dos mais elementares direitos da cidadania”.

“Todo este esforço criou milhões de empregos e dinamizou regiões inteiras antes marginalizadas do processo econômico. Permitiu ao Brasil superar com êxito a mais profunda crise econômica da história recente, mantendo até os dias atuais níveis recordes de geração de postos de trabalho.”

Leia aqui a íntegra do discurso da presidenta Dilma Rousseff.

Porém, lembrou que o Brasil ainda tem enormes desafios e que neste momento se concentra nas tarefas necessárias para aperfeiçoar nosso processo de crescimento e garantir um longo período de prosperidade para o povo brasileiro. Ela disse também que seu compromisso “é com a construção de uma sociedade de renda média, assegurando oportunidades educacionais e profissionais para os trabalhadores e para a nossa imensa juventude”. E continuou: “Garantindo também o ambiente institucional que impulsione o empreendedorismo e favoreça o investimento produtivo”.

Ainda no discurso, Dilma disse que enxergava as melhores oportunidades para o avanço das relações entre os países. “Acompanho com atenção e a melhor expectativa seus enormes esforços para recuperar a vitalidade da economia norte-americana”, enfatizou.

“Compreendemos o contexto do esforço empreendido por seu governo para a retomada da economia. Porém todos sabem que medidas de grande vulto provocam mudanças importantes nas relações entre as moedas de todo o mundo. Este processo desgasta as boas práticas econômicas e empurra países para ações protecionistas e defensivas de toda natureza.”

E seguiu: “Somos um país que se esforça por sair de anos de baixo desenvolvimento, por isto buscamos relações comerciais mais justas e equilibradas. Para nós é fundamental que sejam rompidas as barreiras que se erguem contra nossos produtos – etanol, carne bovina, algodão, suco de laranja, aviões, por exemplo. Para nós é fundamental que se alarguem as parcerias tecnológicas e educacionais, portadoras de futuro.”

Em seguida, o presidente Obama informou que apoia a reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas e a presença do Brasil nos organismos multilaterais. Segundo Obama, tanto é assim que se instituiu o G-20 a principal instância de decisão. O presidente americano destacou ainda o interesse de seu governo em adquirir petróleo brasileiro e nas fontes de energia renovável. Na conversa, ainda, Obama elogiou o empenho da presidenta na melhoria da qualidade de vida do povo brasileiro.

Obam encerou o pronunciamento oficial à imprensa comentando sobre a crise na Líbia. Segundo ele, “se não ocorrer o cessar-fogo” a coligação que tem participação dos Estados Unidos vai intervir “de alguma forma”.

Imprima:Imprimir

Posts Relacionados

Blogue sobre isso

Achou este artigo interessante?

1) Acesse o seu blog e crie num novo post:

(se você não tem um blog, pode criar o seu, utilizando um destes serviços)

2) Use a URL abaixo para pingback/trackback:

3) Rascunhe aqui seu post.

(depois basta copiar e colar no seu blog)

Respostas em blog

Não existem respostas em blog deste artigo. Quer ser o primeiro a blogar este artigo?

Tweets

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-