Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:


Segunda-feira, 28 de dezembro de 2009 às 14:16

Taifeiros da Aeronáutica: fim de uma longa espera de 48 anos

Terminou a longa espera dos taifeiros da Aeronáutica que ingressaram na inatividade ou tiveram suas pensões militares instituídas antes de 1961. O presidente Lula sancionou nesta segunda-feira (28/12) lei que garante a eles acesso a graduações superiores, o que era vedado pela lei anterior (nº 3.953, de 2 de setembro de 1961). A nova Lei, que entra em vigor na data de publicação, produzirá efeitos financeiros a partir de 1º de julho de 2010.

“Como é que vocês podem estar esperando uma coisa dessa por 48 anos? É uma vida!”, espantou-se o presidente Lula no ato de sanção da nova lei, realizado na Sala de Audiências da Presidência da República do Centro Cultural Branco do Brasil (CCBB), em Brasília.

Confira aqui a íntegra do discurso do presidente Lula na cerimônia:

 

Leia aqui sobre a profissão de taifeiro nas Forças Armadas.

Saiba aqui como ingressar na Força Aérea Brasileira (FAB) como taifeiro.

Lula agradeceu o empenho do ministro da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, e de parlamentares do Congresso para que o acordo com os taifeiros fosse feito e a lei, aprovada.

Demorou mas todos nós nos colocamos de acordo, e só foi possivel aprovar a lei porque vocês (Aeronáutica, taifeiros, parlamentares) se colocaram de acordo de que a melhor solução era a gente construir o que fosse o melhor para todos.

Entenda a nova lei

A nova lei sancionada hoje pelo presidente Lula assegurou aos militares da reserva remunerada, reformados ou no serviço ativo, que tenham ingressado no Quadro de Taifeiros até 31 de dezembro de 1992, o acesso a graduações superiores, quando estiverem na inatividade. Esse acesso será sempre limitado à última graduação do QTA, a de Suboficial, e adotará critérios tais como a data de praça do militar, a data de promoção à graduação inicial do QTA, a data de inclusão do militar no QTA, a data de ingresso na inatividade e o fato motivador do ingresso na inatividade, conforme regulamento a ser definido.

A promoção às graduações superiores deverá observar pelo menos um dos seguintes requisitos: que a transferência para a reserva remunerada tenha se dado ou venha a se dar a pedido, depois de cumprido tempo mínimo de serviço determinado em legislação específica; que a inatividade tenha sido motivada pelo alcance da idade limite para a permanência no serviço ativo, pela aplicação da quota compulsória, ou por incapacidade definitiva para o serviço ativo.

Desde que atendam aos requisitos, também farão jus ao acesso a graduações superiores, até a graduação de Suboficial, os militares falecidos em atividade ou na inatividade, instituidores de pensão militar e oriundos do QTA.


Posts Relacionados

Blogue sobre isso

Achou este artigo interessante?

1) Acesse o seu blog e crie num novo post:

(se você não tem um blog, pode criar o seu, utilizando um destes serviços)

2) Use a URL abaixo para pingback/trackback:

3) Rascunhe aqui seu post.

(depois basta copiar e colar no seu blog)

Respostas em blog

Não existem respostas em blog deste artigo. Quer ser o primeiro a blogar este artigo?

Tweets

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-