Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:


Sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016 às 13:22

Não medirei esforços para promover o crescimento duradouro da economia brasileira, diz Dilma

Dilma foi recebida pela presidenta Bachellet, nesta sexta-feira (26), no Palácio La Moneda. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Dilma foi recebida pela presidenta Bachellet, nesta sexta-feira (26), no Palácio La Moneda. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Viagens internacionais

Em visita oficial ao Chile, a presidenta Dilma Rousseff concedeu entrevista, nesta sexta-feira (26), ao jornal El Mercúrio. Entre outros temas, ela abordou os esforços do governo federal para enfrentar as dificuldades econômicas e promover um “crescimento duradouro” do País.

“Seguiremos enfrentando as dificuldades econômicas com grande senso de responsabilidade com o futuro do País, estabelecendo as bases para um crescimento sólido e sustentável”, afirmou. “É por isso que estamos adotando todas as medidas para o combate à inflação, a estabilização fiscal e o estímulo ao investimento. Não vou medir esforços para promover o crescimento duradouro da economia brasileira.”

A presidenta salientou, no entanto, a importância de fazer o ajuste fiscal com a preservação dos programas sociais. “Considero fundamental, ademais, a manutenção de políticas e ações que dão qualidade de vida aos segmentos menos favorecidos da população, garantindo direitos importantes conquistados nos últimos anos, como o Bolsa Família e o Minha Casa Minha Vida“, disse.

Dilma também foi questionada pela reportagem sobre a aproximação do Mercosul com a Aliança do Pacífico, já que o Chile é membro dos dois blocos comerciais e defende a “tese de convergência” entre ambos. A presidenta elogiou a proposta de Michelle Bachelet, nesse sentido.

“A proposta da Presidenta Bachelet de aproximar o Mercosul e a Aliança do Pacífico foi muito positiva. Os países do Mercosul já têm acordos de livre comércio com os membros da Aliança e as estratégias diferenciadas de inserção na economia mundial não impedem uma cooperação mais estreita no âmbito regional. Temos economias com claro potencial de complementariedade”.

Por fim, Dilma respondeu sobre a situação em que espera passar o cargo, ao final do mandato, para seu sucessor em 2018. “Gostaria de entregar para meu sucessor, daqui a três anos, um país em plena recuperação econômica, com melhora significativa das condições de vida do nosso povo e com o aprofundamento das transformações sociais que estamos promovendo e que o Brasil tanto necessita. Quero um país mais educado, mais democrático e uma sociedade mais participante na vida política.”

Imprima:Imprimir

Posts Relacionados

Blogue sobre isso

Achou este artigo interessante?

1) Acesse o seu blog e crie num novo post:

(se você não tem um blog, pode criar o seu, utilizando um destes serviços)

2) Use a URL abaixo para pingback/trackback:

3) Rascunhe aqui seu post.

(depois basta copiar e colar no seu blog)

Respostas em blog

Não existem respostas em blog deste artigo. Quer ser o primeiro a blogar este artigo?

Tweets

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-