Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:


Quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016 às 21:39

CNBB conclama Igreja para intensificar combate ao Aedes aegypti

Segundo o arcebispo, a presidenta Dilma e o ministro da Saúde, Marcelo Casto, se comprometeram a enviar para a CNBB todo o material para orientar a população sobre o combate ao Aedes aegypti.Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Segundo o arcebispo, a presidenta Dilma e o ministro da Saúde, Marcelo Casto, se comprometeram a enviar para a CNBB todo o material para orientar a população sobre o combate ao Aedes aegypti.Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Sérgio da Rocha, entregou à presidenta Dilma Rousseff nesta quinta-feira (4) mensagem em que conclama toda a Igreja Católica no Brasil a continuar e intensificar a mobilização no combate ao mosquito transmissor da dengue, do vírus zika e do chikungunya. Em reunião no Palácio do Planalto, à convite da presidenta Dilma, igreja e governo reforçaram o compromisso de unir forças contra a proliferação do mosquito.

“Temos consciência que a igreja tem muito a contribuir, mobilizando, formando as pessoas, ajudando para que nossas comunidades tomem as devidas iniciativas para que a redução desse problema ocorra o mais breve possível”, disse o arcebispo a jornalistas, após a reunião.

Segundo o arcebispo, a presidenta Dilma e o ministro da Saúde, Marcelo Casto, também presente na reunião, se comprometeram a enviar para a entidade todo o material necessário para orientar a população sobre as medidas de combate ao Aedes aegypti.

Dom Sérgio reiterou a importância da união de esforços de todos os brasileiros nesse momento. “Por isso a CNBB, está enviando essa mensagem a todos os bispos do Brasil, para que cada um possa, localmente, na sua diocese, estabelecer parcerias com o poder público local para unir forças”

Microcefalia e aborto

Na mensagem divulgada hoje, a entidade disse que a situação dos casos de microcefalia associados ao vírus zika como emergência internacional decretada pela OMS não deve “levar ao pânico”  e se posicionou contra a interrupção de gestação em caso de malformação do crânio de bebês.

O estado de alerta, contudo, não deve nos levar ao pânico, como se estivéssemos diante de uma situação invencível, apesar de sua extrema gravidade. Tampouco justifica defender o aborto para os casos de microcefalia como, lamentavelmente, propõem determinados grupos que se organizam para levar a questão ao Supremo Tribunal Federal, num total desrespeito ao dom da vida”.

Na nota, a CNBB pede que seja garantida assistência a crianças com microcefalia e à família delas. “A saúde, dom e direito de todos, deve ser assegurada, em primeiro lugar, pelos gestores públicos”. 

Imprima:Imprimir

Posts Relacionados

Blogue sobre isso

Achou este artigo interessante?

1) Acesse o seu blog e crie num novo post:

(se você não tem um blog, pode criar o seu, utilizando um destes serviços)

2) Use a URL abaixo para pingback/trackback:

3) Rascunhe aqui seu post.

(depois basta copiar e colar no seu blog)

Respostas em blog

Não existem respostas em blog deste artigo. Quer ser o primeiro a blogar este artigo?

Tweets

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-