Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:


Domingo, 13 de julho de 2014 às 15:25

Presidenta recebe autoridades para encerramento da Copa do Mundo

Presidenta Dilma cumprimenta Chefes de Estado e de Governo participantes do encerramento da Copa do Mundo FIFA 2014. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Presidenta Dilma cumprimenta Chefes de Estado e de Governo participantes do encerramento da Copa do Mundo FIFA 2014. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Neste domingo (13), no Rio de Janeiro, a presidenta Dilma Rousseff ofereceu um almoço em homenagem aos Chefes de Estado e de Governo que vieram prestigiar o encerramento da Copa do Mundo de 2014.

Entre as autoridades presentes estavam a chanceler e o presidente da Alemanha, Angela Merkel e Joachin Gauk. A Alemanha disputará a final da Copa contra a seleção da Argentina em partida prevista para iniciar às 16 horas no Maracanã.

Além dos representantes dos países finalistas, a presidenta Dilma recebeu o presidente da Rússia, Vladimir Putin. A Rússia será a anfitriã do próximo mundial, em 2018. Outras autoridades internacionais também prestigiaram o encontro e devem participar da cerimônia de encerramento.

 

Quinta-feira, 3 de julho de 2014 às 12:45

É possível contratar três milhões de moradias, afirma Dilma sobre Minha Casa, Minha Vida 3

Presidenta Dilma durante entrega de moradias do Minha Casa Minha Vida a mais de 5 mil famílias. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Presidenta Dilma durante entrega de moradias do Minha Casa Minha Vida a mais de 5 mil famílias. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Ao mesmo tempo em que entregou 5.460 unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida, nesta quinta-feira (3), no Paranoá (DF), a presidenta Dilma Rousseff considerou possível a contratação de três milhões de moradias na próxima fase do programa. Ela estabeleceu a meta como comprometimento com a continuidade do programa, além de articular empresariado para demanda da terceira etapa.

“Nosso objetivo é deixar claro que é possível contratar agora três milhões de moradias. Porque aquilo que está dando certo deve ter continuidade. As famílias de menor renda precisam continuar recebendo subsídio quase integral, tal como fizemos até agora. E nós precisamos sinalizar para os empresários se prepararem com terrenos, discutir com prefeitos para que isso ocorra a partir de 2015”, salientou.

Dilma exemplificou a importância do Minha Casa, Minha Vida com a história da dona Elisângela. Uma senhora beneficiada em conjunto residencial no Rio de Janeiro que no momento da mudança para o novo lar dizia: “Vem, gente, olha que maravilha! É apartamento mesmo, pode ver. E eu que achei que só ia entrar em apartamento em horário de serviço. Mas o 304 agora é meu e daqui ninguém me tira”.

“A alegria da dona Elisângela e o orgulho por estar entrando no apartamento próprio é melhor que qualquer discurso de como a casa própria traz o bem, faz o bem para as pessoas. Com o Minha Casa, Minha Vida estamos construindo, sim, um novo país para dezenas de milhões de brasileiros que viviam em áreas insalubres, em áreas de risco, moravam de favor em casa de parentes ou pagavam um aluguel que mal cabia no bolso”, comentou Dilma.

As 5.460 casas do Minha Casa, Minha Vida foram entregues em dez cidades de sete estados, além do Distrito Federal. O programa contemplou os seguintes municípios: Belford Roxo (RJ), Betim (MG), Curitiba (PR), Duque de Caxias (RJ), Governador Valadares (MG), Jequié (BA), Joinville (SC), Juazeiro do Norte (CE), Paranoá (DF), São Vicente (SP) e Santo André (SP).

Subsídios do Minha Casa, Minha Vida
A presidenta também defendeu a aplicação de recursos do Tesouro Nacional para continuar subsidiando unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida. Dilma explicou como funciona o subsídio, na prática, para um beneficiário do programa.

“No passado, políticos e economistas achavam que era um pecado mortal o governo federal tirar dinheiro do Tesouro e colocar de subsídio para aqueles que mais precisavam. Nós achamos que é uma virtude, é uma virtude perceber que quem ganha até 1.600 reais não cobre o preço da sua casa própria. O governo federal, para essa faixa até 1.600 reais, subsidia, coloca entre 90% a 95% do dinheiro da casa própria para que as pessoas que mais precisam tenham o seu lar, que é a condição primária de segurança pessoal, de segurança familiar”, analisou a presidenta.

Terça-feira, 1 de julho de 2014 às 11:43

Dilma: Inauguramos um arco rodoviário que pode ser chamado de caminho do futuro

Terça-feira, 1 de julho de 2014 às 11:43

Dilma: Inauguramos um arco rodoviário que pode ser chamado de caminho do futuro

Presidenta Dilma posa para foto com trabalhadores do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Presidenta Dilma posa para foto com trabalhadores do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Na abertura ao tráfego do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro, trecho que vai do entroncamento da BR-040 até Itaguaí , nesta terça-feira (1), a presidenta Dilma Rousseff classificou a obra rodoviária como um caminho para o futuro. Para ela, o empreendimento abre oportunidades para a instalação de mais empresas, trazendo desenvolvimento econômico e social para a região em Duque de Caxias (RJ).

“O que caracteriza esse Arco Rodoviário é a imensa oportunidade que ele abre aqui para o estado do Rio, tanto do ponto de vista da logística pelo que ele liga – liga rodovias e liga porto. Ligar rodovia e ligar um porto é algo estratégico -, liga grandes obras que estão sendo realizadas aqui no Rio de Janeiro, como é o caso do Comperj. Liga, portanto, de forma muito clara, grandes unidades econômicas, grandes obras, grandes projetos. Então, abre oportunidades sociais e econômicas”, afirmou.

A presidenta destacou também os empregos gerados com a chegada destas empresas. Ela lembrou ainda que, com a estimativa de que 10 mil carretas/dia utilizem o novo Arco Metropolitano, o tráfego pesado sai de dentro das cidades, para melhora do fluxo de carros e da segurança do trânsito.

“Aqui foi dado passo essencial para gerar emprego de qualidade, melhorar a vida para população que vive aqui. Também porque quando tira tráfego pesado de dentro das cidades, a gente está preservando vida, garantindo não só tempo de vida para passar com seus filhos, mas garantindo também segurança. Segurança porque tráfego pesado sempre causa acidentes”, analisou.

Confira a íntegra

Segunda-feira, 30 de junho de 2014 às 19:46

Dilma: Minha Casa, Minha Vida tem sentido de recomeço para famílias sem casa própria

Segunda-feira, 30 de junho de 2014 às 19:46

Dilma: Minha Casa, Minha Vida tem sentido de recomeço para famílias sem casa própria

Presidenta Dilma durante cerimônia de entrega de 998 unidades habitacionais dos Residenciais Zé Keti e Ismael Silva do programa Minha Casa Minha Vida. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Presidenta Dilma em cerimônia de entrega de 998 unidades dos Residenciais Zé Keti e Ismael Silva do programa Minha Casa, Minha Vida. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Na inauguração de 998 unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida, nesta segunda-feira (30) no Rio de Janeiro, a presidenta Dilma Rousseff considerou o programa como recomeço para famílias. Ela ressaltou a localização dos residenciais Zé Keti e Ismael Silva, além do acesso dos moradores a outros serviços públicos.

“Acho que aqui é um recomeço para muitas famílias que podem olhar o futuro e lembrar o seguinte: agora tem uma moradia. Na hora que colocar a chave na fechadura, abrir a porta e entrar, é isso que vocês têm: um lar a ser construído. E quando tem um lar, também vai ter futuro melhor, vai cuidar melhor das crianças, vão ter uma educação melhor. Aqui vocês vão ter todas essas garantias. Aqui vai ter escola, creche, vai ter todos os equipamentos sociais e na verdade, estão perto de tudo. Fica na verdade no centro do Rio. Por isso, é um recomeço e é também caminho para o futuro”, analisou.

Dilma reforçou ainda a continuidade do Minha Casa, Minha Vida para atender pessoas que ainda acessaram a casa própria. A presidenta lembrou das 3,750 milhões de moradias entregues desde 2009, e com estes resultados o governo adquiriu experiência para ampliar a meta na terceira etapa, a partir de 2015.

Zé Kéti e Ismael Silva
Os residenciais receberam investimento de R$ 31,4 milhões para 499 moradias em cada um. Ao todo, foram quase 4 mil pessoas beneficiadas no Rio de Janeiro. Os empreendimentos contam com 32 unidades adaptadas a pessoas com deficiência. Estão localizados a três quilômetros do centro da cidade e a quatro quilômetros do Aeroporto Santos Dumont, com disponibilidade de transporte público.

Confira a íntegra

Segunda-feira, 30 de junho de 2014 às 17:23

Dilma destaca atendimento humanizado e garante apoio para manutenção de hospital

Segunda-feira, 30 de junho de 2014 às 17:23

Dilma destaca atendimento humanizado e garante apoio para manutenção de hospital

Presidenta Dilma visitou instalações do Hospital Estadual dos Lagos. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Presidenta Dilma visitou instalações do Hospital Estadual dos Lagos. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Após visitar e inaugurar o Hospital Estadual dos Lagos, nesta segunda-feira (30), em Saquarema (RJ), a presidenta Dilma Rousseff elogiou a qualidade da unidade nova, sobretudo no que se refere às pessoas. Ela considerou que a atenção humanizada especial é uma característica que todas as políticas de saúde precisam ter, e garantiu apoio do governo federal para manutenção da infraestrutura.

“Eu particularmente fico muito satisfeita com o fato de nós contribuirmos para manutenção desse hospital. Eu sei que a parte bastante cara é a manutenção. E isso o governo federal vai dar todos os anos a sua contribuição para manter aqui, na região, esse hospital de referência. Referência porque todos os municípios, aqui, dessa baixada litorânea, vão ser atendidos por hospital de alta qualidade – alta qualidade”, constatou.

Dilma também reforçou a importância e os avanços conquistados em programas como o Mais Médicos, para levar atendimento médico a mais de 50 milhões de brasileiros, além de interiorizar a formação de novos profissionais. Ela também lembrou do programa Aqui Tem Farmácia Popular, que fornece de forma gratuita alguns medicamentos para brasileiros com problemas crônicos de saúde.

Confira a íntegra

Domingo, 1 de junho de 2014 às 12:25

Dilma destaca importância do acesso à casa própria digna

Dilma participou da entrega de unidades habitacionais a famílias de Manguinhos, no Rio de Janeiro. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Dilma participou da entrega de unidades habitacionais a famílias de Manguinhos, no Rio de Janeiro. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidenta Dilma Rousseff enalteceu a mudança de realidade para os moradores na comunidade em Manguinhos, no Rio de Janeiro, na entrega pelo PAC 2 de 564 unidades habitacionais do Conjunto Residencial Nova CCPL, neste domingo (1). Ela classificou como um absurdo as condições precárias em que as pessoas viviam há 12 anos, e afirmou que agora elas têm acesso ao direito da casa própria.

“O governo federal botou a mão no próprio bolso, e fez um programa de habitação popular chamado Minha Casa, Minha Vida. Esse programa é um programa que sucedeu outros programas que haviam do governo federal e deram origem a esses imóveis aqui, casas e apartamentos, que era o PAC. Mas hoje, esse programa do PAC se chama Minha Casa, Minha Vida. E aí quero dizer para vocês que é muito importante o acesso a casa própria digna, e aqui, o que nós estamos vendo? Casa própria digna”, analisou.


Confira a íntegra

Domingo, 1 de junho de 2014 às 12:24

Dilma entrega moradia a 564 famílias em Manguinhos (RJ)

A presidenta Dilma Rousseff inaugura 564 unidades habitacionais do Complexo de Manguinhos, Rio de Janeiro (RJ), neste domingo (1). O empreendimento, construído com investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), é composto de 23 blocos de apartamentos e possui também áreas de lazer e de circulação, com praça arborizada, ciclovia, espaço para recreação infantil e quadra poliesportiva, além de estacionamento com 74 vagas em volta de uma pista central de mão dupla para circulação interna.

As famílias que receberão as chaves dos apartamentos, moravam em condições precárias nos antigos galpões da Cooperativa Central dos Produtores de Leite (CCPL), que existiam na localidade. Cândida Maria Privado, líder comunitária, descreveu ao Blog do Planalto as dificuldades que enfrentavam.

“Tinha muito rato, enchente. (…) Na chuva, todo mundo tinha medo, a enchente era quase três metros, passou na televisão para todo mundo ver, pessoas perderam tudo, não tinham nada e ainda perderam o que não tinham”, contou.

Com a entrega do empreendimento as famílias passarão a viver em habitações seguras e confortáveis. Cada bloco tem quatro andares e cada apartamento mede 37,6 metros quadrados de área construída, dividida em dois quartos, sala, cozinha e banheiro. As 38 moradias destinadas a pessoas com deficiência, possuem as mesmas dependências, mas em 48,7 metros quadrados. As unidades habitacionais têm piso cerâmico em todas as dependências.

“Vão ter uma conta de luz, uma conta de água que vem o nome deles ali. Quer coisa melhor que cidadania? Uma coisa maravilhosa, uma coisa que eles nunca [tiveram] na vida deles era uma conta de água. Eles iam abrir um crediário e não podiam abrir porque não tinham um comprovante de residência. (…) Um apartamento desse aqui: dois quartos, sala, cozinha, banheiro, um chuveiro quente, (…) com luz, não tem mosquito. (…) Vai ter uma quadra de futebol, os parquinhos – coisa que não tinha, eles brincavam de pau, de garrafa de pet. (…) Tem uma pista para andar de bicicleta”, disse a líder comunitária.

Tweets

Portal da Copa

Portal da Copa

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-