Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:

Segunda-feira, 9 de setembro de 2013 às 17:33

Tomaremos todas as medidas para proteger o país, o governo e suas empresas, afirma Dilma sobre denúncia de espionagem

Nota OficialA presidenta Dilma Rousseff emitiu, nesta segunda-feira (9), nota oficial sobre denúncia de violação das comunicações e de dados do governo brasileiro e da Petrobras pela Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos. Segundo a presidenta, “tais tentativas de violação e espionagem de dados e informações são incompatíveis com a convivência democrática entre países amigos, sendo manifestamente ilegítimas. De nossa parte, tomaremos todas as medidas para proteger o país, o governo e suas empresas”.

Confira a íntegra:

Mais uma vez, vieram a público informações de que estamos sendo alvo de mais uma tentativa de violação de nossas comunicações e de nossos dados pela Agência Nacional de Segurança dos EUA. Inicialmente, as denúncias disseram respeito ao governo, às embaixadas e aos cidadãos – inclusive a essa Presidência. Agora, o alvo das tentativas, segundo as denúncias, é a Petrobras, maior empresa brasileira. Sem dúvida, a Petrobras não representa ameaça à segurança de qualquer país. Representa, sim, um dos maiores ativos de petróleo do mundo e um patrimônio do povo brasileiro.

Assim, se confirmados os fatos veiculados pela imprensa, fica evidenciado que o motivo das tentativas de violação e de espionagem não é a segurança ou o combate ao terrorismo, mas interesses econômicos e estratégicos.

Por isso, o governo brasileiro está empenhado em obter esclarecimentos do governo norte-americano sobre todas as violações eventualmente praticadas, bem como em exigir medidas concretas que afastem em definitivo a possibilidade de espionagem ofensiva aos direitos humanos, a nossa soberania e aos nossos interesses econômicos.

Tais tentativas de violação e espionagem de dados e informações são incompatíveis com a convivência democrática entre países amigos, sendo manifestamente ilegítimas. De nossa parte, tomaremos todas as medidas para proteger o país, o governo e suas empresas.

Dilma Rousseff
Presidenta da República Federativa do Brasil

Segunda-feira, 20 de maio de 2013 às 10:15

Dilma entrega navio petroleiro “Zumbi dos Palmares”, em Pernambuco

A presidenta Dilma Rousseff participa, nesta segunda-feira (20), às 11h30, em Ipojuca, de cerimônia que marca o início das operações do petroleiro “Zumbi dos Palmares”. No evento, serão entregues os documentos oficiais do navio e bandeiras à tripulação. O navio é a quinta embarcação do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef) entregue à Transpetro, braço de logística da Petrobras, em um período de 18 meses.

Promef e a indústria naval brasileira

O Promef, que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), encomendou 49 embarcações a estaleiros nacionais, garantindo as bases para o ressurgimento da indústria naval brasileira. O programa também possibilitou a abertura de novos estaleiros e a modernização dos já existentes, criando oportunidades de trabalho para milhares de brasileiros e um novo polo naval no Nordeste.

Criado em 2004, o Promef segue três premissas: construir navios no Brasil, ter índice de no mínimo 65% de conteúdo nacional e atingir competitividade internacional. Com cerca de R$ 11 bilhões em investimentos, três novos estaleiros foram viabilizados devido às encomendas do Promef, que já capacitou mais de seis mil trabalhadores, apenas em Pernambuco, e gerou 54 mil empregos.

Segunda-feira, 20 de maio de 2013 às 10:14

Zumbi dos Palmares e as etapas de construção de um navio

O navio petroleiro Zumbi dos Palmares, que parte, nesta segunda (20), para sua primeira viagem, é do tipo suezmax para o transporte de óleo cru e tem capacidade para estocar a metade da produção diária brasileira: um milhão de barris. A embarcação tem 274,20 metros de comprimento total – maior que dois campos oficiais de futebol – e 51,6 metros de altura – mais alto do que o Cristo Redentor. Na construção do Zumbi dos Palmares foram utilizadas mais de 21 toneladas de aço, 860 toneladas de acessórios para o casco, 500 mil litros de tinta e mais de 110 mil metros de cabos elétricos.

Confira, no infográfico abaixo, as fases de construção de um navio:

info_etapas_13052013-580

Clique e aumente a imagem (.pdf)

Sexta-feira, 15 de julho de 2011 às 12:33

Ministra nega mudanças nas diretorias da Petrobras e BR Distribuidora

A ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Helena Chagas, afirmou que são infundadas as informações sobre mudanças nas diretorias da Petrobras e da BR Distribuidora. A ministra esteve no comitê de imprensa do Palácio do Planalto, na manhã desta sexta-feira (15/7), para esclarecer matéria publicada hoje pelo jornal carioca O Globo sobre o tema.

Na visita aos jornalistas que acompanham o dia a dia da Presidência da República, a ministra Helena Chagas negou o conteúdo das informações da referida reportagem.

Segunda-feira, 20 de junho de 2011 às 14:10

Em 2011, inflação ficará entre 6,15% e 6,2%, prevê Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, que foi recebido em audiência pela presidenta Dilma Rousseff nesta segunda-feira (20/6), fez avaliação muito positiva sobre o desempenho do Brasil no cenário internacional. O ministro comemorou o fato de a agência de classificação Moody’s ter aumentado a nota de risco do Brasil. O ministro explicou que a economia nacional segue dentro das expectativas e previu que a inflação em 2011 fique entre 6,15% e 6,2%, ou seja, abaixo de 6,5% que era a estimativa inicial.

“A economia brasileira tem um comportamento excelente. Deve crescer algo perto de 4,5%. A inflação também está sob controle. Estamos no mês de junho e os indicadores mostram a queda da inflação. As contas fiscais também estão controladas”, contou Mantega.

O ministro disse que a presidenta Dilma ficou satisfeita com as informações e indagou sobre a geração de emprego. Nesse instante, segundo relato, foi assegurado que o país seguirá no aumento da oferta de emprego. Mantega disse que os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), referentes ao mês de maio, serão divulgados hoje (20/6) pelo ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi.

Guido Mantega fez ressalvas apenas no que diz respeito aos produtos manufaturados. Segundo o ministro, trata-se do “setor que mais sofre” em função de que algumas economias mundiais ainda atravessarem dificuldades. O ministro disse também que na última sexta-feira foi constituído grupo de inteligência que irá intensificar a fiscalização nas empresas exportadoras.

“As exportações estão crescendo e não podemos permitir que se cometam fraudes. Estamos aperfeiçoando a defesa comercial”, contou.

Na entrevista, Mantega foi questionado sobre o plano de investimentos da Petrobras. Ele explicou que a empresa vem preparando o cronograma de investimentos e que o Conselho de Administração da companhia, como de praxe, discute todos os projetos para que seja feito o aperfeiçoamento.

Domingo, 5 de junho de 2011 às 9:41

A semana em imagens (29/5 a 4/6)

Sexta-feira, 3 de junho de 2011 às 16:57

Imagens da inauguração da Plataforma P-56, em Angra dos Reis (RJ)

Sexta-feira, 3 de junho de 2011 às 16:41

O batismo da plataforma P-56 em Angra dos Reis (RJ)

Sexta-feira, 3 de junho de 2011 às 14:33

O Brasil da indústria naval, que cresce e se desenvolve, será também o Brasil sem Miséria

Presidenta Dilma Rousseff durante visita à Plataforma P-56 em Angra dos Reis. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

O Brasil que cresce, que se desenvolve, que é capaz de produzir sondas e plataformas e de se tornar referência internacional na indústria naval deve ser o mesmo país que acolhe sua população pobre e que promove a inclusão social e o fim da miséria. Durante a cerimônia de batismo da Plataforma P-56 da Petrobras, nessa sexta-feira (3/6), em Angra dos Reis (RJ), a presidenta Dilma Rousseff lembrou do potencial de superação do povo brasileiro – que mostrou ser capaz de alavancar a indústria naval – e fez um chamamento para que essa mesma força e capacidade de crescimento sejam usados para acabar com a miséria no país.

A presidenta Dilma citou o Plano Brasil sem Miséria, lançado ontem em Brasília, como um fator de crescimento para o país. Afinal de contas, lembrou ela, os 28 milhões de brasileiros que saíram da pobreza no governo do presidente Lula foram diretamente responsáveis pelo crescimento econômico do Brasil, uma vez que se tornaram consumidores e geradores de riqueza.

“Nós provamos que é possível construir plataformas no Brasil; nós provamos que é possível construir sondas no Brasil; nós provamos que é possível construir os equipamentos e prestar o serviço que a Petrobras precisa para explorar o pré-sal. Assim como nós provamos isso, nós provamos também que esse país cresce quando cresce a população, quando ela tem trabalho, quando ela tem dignidade, tem autoestima e tem cabeça erguida para seguir em frente”, disse.

Ouça abaixo a íntegra do discurso da presidenta Dilma Rousseff.

 

Em seu discurso, a presidenta falou que os R$ 78 bilhões investidos pela Petrobras no ano passado foram responsáveis pela geração de emprego, renda, comida na mesa do povo brasileiro, mais crianças nas escolas e de garantia de uma vida descente para milhões de cidadãos. Antes do aquecimento da indústria naval, lembrou a presidenta, grande parte desse dinheiro ia para fora.

Dilma Rousseff lembrou que a ideia de trazer para o país esses investimentos surgiu no governo do ex-presidente Lula, enquanto ela ainda era ministra. “Foi muito difícil”, continuou, “pois diziam que a gente não era capaz de produzir casco de navio, de montar plataformas e de construir e fornecer equipamentos para a Petrobras”. E o Brasil que não produzia sonda, navios e plataformas passou a produzir – comemorou.

“Hoje vocês podem olhar para tudo isso e dizer que nós conseguimos, fomos capazes e fizemos”, frisou.

A presidenta reiterou seu compromisso com a indústria naval e disse que o próximo passo é investir na indústria de navipeças, ou seja, “que aqui no Brasil se produza cada peça das plataformas”. Para isso, disse contar com a parceria dos empresários que certamente encontrarão no país um mercado de crescente demanda.

“O Brasil mudou e vai continuar mudando. Nós vamos continuar gerando muitos empregos, nós vamos continuar fazendo os programas que levaram esse país a um nível de desenvolvimento que é um exemplo para o mundo (…). Viva os trabalhadores da indústria naval!”, despediu-se.

Sexta-feira, 3 de junho de 2011 às 13:03

Vídeo institucional da Plataforma P-56 da Petrobras

Tweets

Portal da Copa

Portal da Copa

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-