Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:


Terça-feira, 28 de outubro de 2014 às 22:40

Entrevista da presidenta Dilma Rousseff ao Jornal SBT Brasil

Terça-feira, 28 de outubro de 2014 às 22:37

Presidenta Dilma garante que reforma política é prioridade em seu segundo mandato

Entrevista_PR_SBT_reeleicao

“Do Oiapoque ao Chui, de Leste a Oeste, se você tocasse nessa questão de reforma política, era o momento em que as pessoas mais participavam, mais queriam”, revelou Dilma em entrevista ao Jornal SBT Brasil. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.

Em entrevista ao Jornal SBT Brasil nesta terça-feira (28), a presidenta Dilma Rousseff voltou defender a reforma política. Segundo Dilma, a realização de um plebiscito ou referendo, desde que tenha participação popular, deverá ser prioridade em seu segundo mandato, pois o tema amplamente discutido e reivindicado durante a campanha eleitoral.

“Eu quero a participação popular. Nesse processo eleitoral, eu estive com muitos movimentos, muitas representações, e eles fizeram uma coleta de assinaturas que foi muito expressiva. Eles propõem consulta popular e propõem uma Assembleia Constituinte exclusiva”, afirmou a presidenta reeleita.

Ela também falou sobre a política econômica, corrupção, homofobia, entre outros assuntos. Confira os principais trechos da entrevista concedida ao jornalista Kennedy Alencar.

Corrupção
Conforme entrevistas concedidas nesta segunda-feira (27), Dilma tornou a defender a investigação no caso da Petrobras. “Eu não trato de corrupção somente em época eleitoral. Se você mantém a impunidade você está sancionando a corrupção. Então eu quero essa investigação doa a quem doer, não deixando pedra sobre pedra”, enfatizou ela.

Crise hídrica
Dilma afirmou estar atenta à questão da crise hídrica no Estado de São Paulo e apta a ajudar o Estado. Ela contou que desde o início do ano, conversou com o governador e apontou medidas a serem tomadas, além de disponibilizar financiamento para o projeto da adutora de São Lourenço. “Nós financiamos o projeto. E agora liberamos o financiamento de R$ 1,8 bilhão para financiar a construção em si. (…) A questão em São Paulo é mais grave. Agora, você sabe que a água, pela Constituição, ela é responsabilidade dos estados e/ou municípios. No caso da cidade de São Paulo é do estado por meio da Sabesp. Então é óbvio que se o governador pedir, a hora que ele pedir, o governo federal estará pronto para ajudar”, afirmou.

Diálogo com segmentos econômicos e oposição
A presidenta afirmou querer um Brasil unitário, em que sejam respeitadas as diferenças e opiniões para o amplo debate das mudanças e reformas necessárias ao País. “Não quero uma união que torne tudo pasteurizado. Eu quero uma união que as pessoas mantenham as suas posições, as suas diferenças de opinião que possam agir de forma diversificada, não é monolítica, e que ao mesmo tempo, conversem”, avaliou.

Parceria com os Estados Unidos
Por ocasião do telefonema do presidente Barack Obama nesta tarde, Kennedy questionou sobre a relação bilateral com os EUA. Dilma afirmou que deseja inverter o déficit comercial com os Estados Unidos. “Nós temos imenso interesse em uma parceria estratégica com os EUA no que se refere à inovação, ciência e tecnologia, além de cooperação nas áreas estratégicas de defesa, tecnologia e relações comerciais”, analisou. Ela lembrou ainda do encontro com Obama na cúpula do G-20 em novembro, na Austrália, e disse estar encaminhada futura visita ao país.

Homofobia
A presidenta Dilma tornou a endossar compromisso assumido durante a eleição, com projeto que criminaliza a homofobia. Ela classificou como uma “medida civilizatória” e enfatizou que dará apoio integral à demanda. “O Brasil tem que ser contra a violência que vitima a mulher, a violência que muita vezes, de forma aberta ou escondida, também fere os negros, que é a maioria da nossa população. E também tem que ser contra a homofobia, porque isso é de fato uma barbárie”, finalizou.

–> Assista à entrevista da presidenta Dilma Rousseff ao Jornal SBT Brasil na íntegra

Confira a íntegra

Terça-feira, 28 de outubro de 2014 às 10:00

Dia Internacional da Animação promove exibições de curtas em 240 cidades do País

Nesta terça-feira, (28), é celebrado o Dia Internacional da Animação e 240 cidades brasileiras terão exibições gratuitas de curtas-metragens de desenho animado nacionais e internacionais. Além do Brasil, as exibições também ocorrem em outros 30 países e fazem referência à primeira projeção pública mundial de imagens animadas, realizada em 28 de outubro de 1892, pelo artista Émile Reynaud, na França.

A iniciativa tem como objetivo difundir o cinema de animação, atrair novos públicos e proporcionar aos espectadores o acesso a essa arte cinematográfica.

No Brasil, a data é promovida pela Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA) e conta com patrocínio da Petrobras e financiamento do Ministério da Cultura. As exibições da mostra nacional são simultâneas, começando às 19h30, horário de Brasília. Além das mostras oficiais, a programação de cada cidade tem diversas atividades como mostras infantis, internacionais, para deficientes visuais e auditivos. Também serão promovidos debates, oficinas, palestras e exposições. Todas as atividades do evento são gratuitas.

–> Confira se sua cidade participa do circuito do Dia Internacional de Animação

Quinta-feira, 16 de outubro de 2014 às 16:11

Petrobras atinge recordes históricos como operadora de petróleo e gás em setembro

A produção consolidada de petróleo e gás, no Brasil e no exterior, atingiu 2,781 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) em setembro, volume 0,8% superior ao registrado em agosto, de acordo com dados divulgados pela Petrobras nesta nesta quarta-feira (15). Com isso, neste mês, e empresa bateu os recordes históricos como operadora de petróleo e gás no Brasil.

Somente a produção de petróleo da estatal no Brasil atingiu em setembro a média de 2 milhões 118 mil barris/dia (bpd). Esse volume foi 0,6% maior que o produzido em agosto, que alcançou 2 milhões 105 mil bpd.

Petrobras_recordes_petroleo_gas

Já a produção total de petróleo operada pela companhia no Brasil, que inclui a parcela operada pela Petrobras para seus parceiros, atingiu em setembro seu terceiro recorde consecutivo, de 2 milhões 239 mil bpd – volume 0,3% superior aos 2 milhões 232 mil bpd que haviam sido alcançados no mês de agosto.

Produção total de petróleo e gás
A produção total de petróleo e gás no Brasil foi de 2 milhões 565 mil boed, indicando um aumento de 0,5% em relação a agosto (2 milhões 551 mil boed) e também um novo recorde histórico.

A produção total de óleo e gás natural operada pela Petrobras no Brasil, que inclui a parcela operada para seus parceiros, por sua vez, foi de 2 milhões 743 mil boed no mês de setembro, 0,3% acima do volume obtido em agosto (2 milhões 736 mil boed). Esta também é a maior produção total operada já atingida pela Companhia.

Crescimento da produção
O crescimento da produção decorreu, principalmente, do ramp up (antecipação de crescimento e de resultados) da produção das plataformas P-55 e P-62, em Roncador (Bacia de Campos), e do FPSO Cidade de Paraty, em Lula Nordeste (Bacia de Santos). No mês de setembro, seis novos poços offshore iniciaram operação nas bacias de Santos e Campos, sendo cinco poços produtores e um injetor. Com eles, um total de 53 novos poços já entrou em operação no ano de 2014.

Com a chegada das três embarcações do tipo PLSV (Pipe Laying Support Vessel) Sapura Topázio, Coral Atlântico e NO 102, no mês de setembro, a frota da Companhia atingiu 18 embarcações, do total de 19 previstos para operarem até o final deste ano.

Pré-sal
A produção da camada pré-sal teve em setembro o volume de 532 mil bpd, e no dia 18 de setembro foi registrada a maior produção no pré-sal das Bacias de Santos e Campos, de 618 mil bpd, constituindo-se em novo recorde diário de produção naquela camada.

Essas vazões também incluem a parte operada pela Petrobras para seus parceiros. Vale destacar que, após a entrada em produção do poço RJS-674, em 10 de setembro, o FPSO Cidade de Paraty atingiu sua capacidade máxima de produção, de 120 mil bpd, com apenas quatro poços produtores, assim como já havia ocorrido com o FPSO Cidade de São Paulo, no campo de Sapinhoá (Bacia de Santos).

Fonte: com informações da Petrobras.

Sexta-feira, 3 de outubro de 2014 às 17:48

Pré-sal aumenta produção em 11% em agosto

A produção no pré-sal aumentou 11% em agosto, em relação ao mês anterior, totalizando 647 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 533 mil barris diários de petróleo e 18,1 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em boletim nesta sexta-feira (3).

A produção teve origem em 35 poços, localizados nos campos de Baleia Azul, Baleia Franca, Jubarte, Barracuda, Caratinga, Linguado, Lula, Marlim Leste, Pampo, Sapinhoá, Trilha e nas áreas de Iara e Entorno de Iara.

Os poços do pré-sal são aqueles cuja produção é realizada no horizonte geológico denominado pré-sal, em campos localizados na área definida no inciso IV do caput do art. 2º da Lei nº 12.351, de 2010.

Sábado, 23 de agosto de 2014 às 10:30

Exploração do pré-sal impulsiona crescimento da indústria naval

A demanda por embarcações usadas na exploração do petróleo do pré-sal continua a atrair investimentos para o setor naval, que cresce 19,5% ao ano. A expansão da produção de petróleo dobrará até 2020 a participação da indústria de petróleo e gás no PIB e levará a indústria naval e offshore (exploração em alto mar) brasileira a faturar em torno de US$ 17 bilhões por ano no período.

Os dados fazem parte do estudo “Ressurgimento da Indústria Naval no Brasil (2000 – 2013)”, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e apresentado esta semana na Marintec South America – 11ª Navalshore, no Rio de Janeiro.

naval

O estudo aponta que o ritmo de crescimento verificado e o volume de investimentos na indústria naval – cerca de R$150 bilhões no período de 13 anos – já consolidaram o setor. Dentre os investimentos destacados estão os realizados por três programas coordenados pela Petrobras: o Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp), o Programa de Renovação e Expansão da Frota de Embarcações de Apoio Marítimo (Prorefam) e o Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), da subsidiária Transpetro.

Um dos principais indicadores foi o rápido crescimento da força de trabalho empregada. Segundo o estudo, em março de 2013, a indústria naval empregava 71 mil trabalhadores. Estima-se que hoje 80 mil pessoas trabalham na área. O aumento de produção também beneficiou a cadeia de produção. A indústria de navipeças emprega cerca de 100 mil pessoas.

Encomendas
As encomendas previstas para a exploração de áreas do pré-sal garantem demanda para o setor pelos próximos 25 anos. Com base na perspectiva de encomendas de plataformas e embarcações de apoio para áreas do pré-sal, como o Campo de Libra, o estudo calcula uma demanda de pelo menos 544 embarcações a serem produzidas. O montante de recursos estimados é da ordem de R$ 227 bilhões.

Para atender a tantas encomendas de navios, sondas, plataformas e seus módulos (e integração), tornou-se necessária a construção de estaleiros em algumas regiões do Brasil. Entre 2013 e 2014, estão previstos para entrar em operação dez estaleiros de grande e médio portes, englobando investimentos da ordem de R$ 10,7 bilhões. Atualmente o país conta com 29 estaleiros considerados de grande e médio portes.

Inovação
O comércio mundial cresceu oito vezes desde 1970, bem acima do crescimento do PIB mundial. Isso mostra cada vez mais o aumento da frota mercante, necessária para a redução de assimetrias regionais.

Por enquanto, a demanda doméstica do setor de petróleo é estável e confiável. O estudo do Ipea afirma que o principal objetivo da indústria deve ser aumentar a inovação e a produtividade para garantir o crescimento do setor quando cessar a demanda interna.

Sábado, 16 de agosto de 2014 às 10:30

Produção de petróleo brasileira é classificada como “excepcional” pela AIE

A Agência Internacional de Energia (AIE) classificou como “excepcional” o aumento da produção de petróleo no Brasil no segundo trimestre deste ano, em relatório mensal divulgado nesta semana, informa a Petrobras. Segundo o relatório da AIE, que está presente em 29 países, a produção de petróleo no país atingiu a casa de 2,3 milhões de barris por dia (bpd) em junho. “Isso coroa um excelente trimestre para o setor”, com alta de 180 mil bpd no segundo trimestre de 2014 na comparação do ano passado, informa o relatório.

Segundo a agência, além da entrada em operação da P-62, no campo de Roncador, em maio, a conexão de um novo poço do pré-sal à plataforma P-48, no campo de Caratinga, o fim das operações de manutenção da P-51, em Marlim Sul, e um TLD (Teste de Longa Duração), em Iara Oeste, também contribuíram para o aumento da produção de maio e junho. Os campos de Roncador, Caratinga e Marlim Sul ficam na Bacia de Campos e Iara Oeste está localizado na Bacia de Santos. Todos são operados pela Petrobras.

Aumento da eficiência
De acordo com a Petrobras, o relatório destaca também a importância do Programa de Aumento da Eficiência Operacional da Bacia de Campos (Proef), uma iniciativa sistemática para manutenção da confiabilidade, integridade e segurança dos sistemas de produção, está rendendo resultados. A eficiência operacional das unidades de produção da companhia atingiu média acima de 91% em junho, o maior nível dos últimos anos.

O relatório da Agência Internacional de Energia prevê que, com a entrada em operação da P-61, no campo de Papa Terra, na Bacia de Campos e com os FPSOs Cidade de Ilhabela (que vai operar em Sapinhoá, na Bacia de Santos) e Cidade de Mangaratiba (que vai operar em Iracema Sul, também na Bacia de Santos) entrando em operação até o fim de 2014, o aumento na produção seja de aproximadamente 135 mil bpd em 2014 na comparação com o ano passado.

Nesta semana, a Petrobras divulgou sua produção de julho, que atingiu recorde histórico, e também novo recorde de produção no pré-sal. A produção total de petróleo, incluída a parcela operada pela empresa para seus parceiros, no Brasil, chegou, em julho, a 2 milhões 152 mil bpd.

A produção do pré-sal também atingiu novo recorde mensal no mês, chegando a 480 mil bpd. No dia 13 de julho, a produção da camada pré-sal das bacias de Santos e Campos atingiu a marca de 546 mil bpd, configurando um novo recorde diário, ultrapassando em 5% o recorde anterior, de 520 mil bpd, de 24 de junho. Esses volumes também incluem a parte operada pela Petrobras para seus parceiros.

Fonte: Portal Brasil com informações da Petrobras.

Sexta-feira, 15 de agosto de 2014 às 10:07

Petrobras tem lucro bruto de R$ 38,5 bilhões no segundo trimestre de 2014

O lucro bruto da Petrobras no segundo trimestre de 2014 foi de R$ 38,5 bilhões. Segundo informou a empresa, na segunda-feira (11), o resultado é 2% superior ao do primeiro trimestre 2013, principalmente devido aos maiores preços de derivados.

Na comparação com o trimestre anterior, o lucro operacional da empresa teve aumento de 17%, passando de R$ 7,6 para R$ 8,8 bilhões. Ainda de acordo com os diretores Almir Barbassa (Financeiro e de Relações com Investidores), José Alcides Santoro (Gás e Energia), José Carlos Cosenza (Abastecimento) e José Formigli (Exploração e Produção), o lucro líquido foi de R$ 10,3 bilhões, 25% menor que o mesmo período do ano anterior.

A principal causa do recuo foi o provisionamento do Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário (PIDV), aos menores ganhos com venda de ativos e às maiores baixas de poços secos e subcomerciais, assim como baixas de ativos.

Já o avanço de 17% no lucro operacional reflete as menores despesas operacionais relativas ao provisionamento do PIDV, que caíram em relação ao primeiro trimestre. Porém, o lucro líquido no período (R$ 5 bilhões) foi 8% inferior, impactado pelo menor resultado financeiro e a maior alíquota efetiva de imposto de renda.

Fonte: Portal Brasil com informações da Petrobras.

Quarta-feira, 13 de agosto de 2014 às 19:07

Petrobras bate recorde na produção de petróleo em julho e atinge 2,1 milhões de barris ao dia

A produção total de petróleo da Petrobras no Brasil bateu recorde mensal em julho, com 2,152 milhões de barris por dia, informou a estatal na segunda-feira (11). Esse valor inclui o montante que resulta das operações da empresa para seus parceiros. A média diária, sem a participação dos parceiros, foi de 2 milhões e 49 mil barris ao dia, 2% a mais do que o mês anterior (2 milhões e 8 mil bpd).

A produção de petróleo e líquido de gás natural (LGN) no Brasil atingiu a média de 1 milhão 947 mil barris por dia no semestre, 1,4% superior à produção do 1º semestre de 2013. Segundo a empresa, esse aumento foi impulsionado pela entrada em operação dos novos sistemas de produção: P-63 (Papa-Terra), P-55 (Roncador), P-62 (Roncador) e P-58 (Jubarte), e pelo aumento da produção nos FPSOs Cidade de Itajaí (Baúna), Cidade de Paraty (Lula NE) e Cidade de São Paulo (Sapinhoá).

Produção também bate recorde no pré-sal
Em junho, a Petrobras bateu novo recorde de produção mensal no pré-sal, atingindo 477 mil barris de petróleo por dia, e em 13 de julho, foi registrado um recorde diário de 546 mil barris com apenas 25 poços produtores.

A empresa interligou, até junho de 2014, 30 novos poços, número próximo ao total de poços interligados em todo o ano de 2013. Neste ano já foram incorporados três novos navios do tipo Pipe Laying Support Vessel (PLSV) à frota da Petrobras, aumentando a disponibilidade de equipamentos necessários ao crescimento da produção. O PLSV, ou navio lançador de linha, são embarcações que lançam e recolhem linhas no mar, utilizadas para conectar as plataformas a sistemas de produção de petróleo.

No refino, a Petrobras aumentou a carga processada e a produção de derivados, alcançando, em junho, recorde de processamento de petróleo nas refinarias no Brasil de 2 milhões 172 mil barris de petróleo por dia.

Programas de eficiência
Segundo a Petrobras, o Programa de Aumento da Eficiência Operacional da Bacia de Campos (Proef) contribuiu com uma produção adicional de petróleo de 96 mil barris por dia no semestre. A eficiência operacional chegou a 80% na Unidade Operacional Bacia de Campos (UO-BC) no fim do semestre, tendo atingido em maio o recorde de eficiência operacional dos últimos 47 meses, de 81,2%.

Os programas estruturantes (Prodesin, Procop, Infralog, PRC-Poço e PRC-Sub) impactaram positivamente o caixa em R$ 5,6 bilhões no 1º semestre deste ano, relatou a diretoria da empresa.

Fonte: Portal Brasil com informações da Petrobras.

Segunda-feira, 11 de agosto de 2014 às 15:12

Consórcio inicia perfuração do primeiro poço exploratório em Libra

Mapa com a localização de Libra e sua distância da Costa. Agência Petrobras.

Mapa com a localização de Libra e sua distância da Costa. Agência Petrobras.

A Petrobras iniciou na quarta-feira (6) a perfuração do primeiro poço exploratório na área de Libra. Esse é o primeiro de dois poços previstos na primeira fase do Programa Exploratório Mínimo (PEM), proposta de exploração firmada com a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A Petrobras é a operadora do Consórcio de Libra (40%), formado também por Shell (20%), Total (20%), CNPC (10%) e CNOOC (10%), juntamente com a Pré-Sal Petróleo S.A.

O primeiro poço atingirá a profundidade final (profundidade de água e sedimentos) de 5.850 metros e está a cerca de 170 km da costa do estado do Rio de Janeiro e a aproximadamente 5 km a Sudoeste do poço descobridor. Durante a perfuração serão realizados testes para adquirir informações necessárias ao desenvolvimento da produção de Libra.

Além da perfuração desses dois poços, o PEM inclui também a realização de um levantamento sísmico de toda a área do bloco, já concluído, e a realização de um teste de longa duração, que será iniciado em dezembro de 2016. Todo o Programa Exploratório Mínimo será concluído até o final de 2017 e a estimativa é de que o primeiro sistema de produção definitivo comece a operar em 2020.

Descoberto em 2010, o bloco de Libra está localizado em águas ultraprofundas no pré-sal da Bacia de Santos, numa área de 1.547,76 km², sendo considerado um prospecto de elevado potencial. O contrato estabelece que a fase exploratória tenha duração de quatro anos a partir da sua assinatura, em dezembro de 2013.

Perfuração de poços do pré-sal em 2013
A Petrobras alcançou um índice de sucesso de 100% na perfuração de 14 poços do pré-sal em 2013. Se considerar todos os poços perfurados (total de 76, sendo 45 em terra e 31 no mar), o índice de sucesso foi de 75% em 2013. Os investimentos em exploração nesse período somaram R$ 17,3 bilhões, incluindo, principalmente, os custos de perfuração, de levantamentos sísmicos e de aquisições de blocos. O ano foi encerrado com reservas provadas de petróleo e gás natural na ordem de 16,565 bilhões de barris de petróleo equivalente, que inclui gás natural. Esses valores equivalem a um aumento de 0,8% em relação às reservas provadas em 2012.

Fonte: Petrobras.

Tweets

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-