Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:


Quinta-feira, 3 de julho de 2014 às 20:00

Hereda: Minha Casa, Minha Vida enfrenta o déficit habitacional e dá esperança ao povo brasileiro

Durante a cerimônia da entrega simultânea de 5.460 unidades habitacionais em onze cidades, nesta quinta-feira (3), o presidente da CAIXA, Jorge Fontes Hereda, falou ao Blog do Planalto sobre a evolução do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), fundado em abril de 2009, que agora entra na sua terceira fase com a meta de 3 milhões de novas unidades.

“É um programa massivo, com um aprendizado de quatro anos e meio. Enfrenta o déficit habitacional, dá esperança ao povo brasileiro, e tem feito isso com qualidade. Foi possível conseguir se aproximar mais dos municípios e estados, no sentido de garantir a estrutura necessária para que o conjunto funcione. Desde equipamentos comunitários ou infraestrutura externa ao conjunto, já que a infraestrutura interna é garantida pelo próprio programa”, afirma Hereda.

O presidente da CAIXA ainda citou o De Olho na Qualidade, programa criado em março de 2013 para que as famílias beneficiadas possam relatar à CAIXA problemas nos empreendimentos por meio do telefone 0800-721-6268. Assim, o banco entra em contato com a empresa construtora para consertar as falhas.

Para finalizar, Hereda falou sobre a meta lançada pela presidenta Dilma de 3 milhões de novas casas entregues, garantindo assim a continuidade do MCMV.

“Então acho que a gente chegou em um ponto de maturação em que é preciso garantir a sustentabilidade do programa. Esse meta da presidenta coloca na gente não mais um desafio, mas uma certeza de que nós vamos continuar oferecendo a nossa população a esperança de poder ter a casa própria, um direito constitucional de todos”.

Quinta-feira, 3 de julho de 2014 às 12:45

É possível contratar três milhões de moradias, afirma Dilma sobre Minha Casa, Minha Vida 3

Presidenta Dilma durante entrega de moradias do Minha Casa Minha Vida a mais de 5 mil famílias. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Presidenta Dilma durante entrega de moradias do Minha Casa Minha Vida a mais de 5 mil famílias. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Ao mesmo tempo em que entregou 5.460 unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida, nesta quinta-feira (3), no Paranoá (DF), a presidenta Dilma Rousseff considerou possível a contratação de três milhões de moradias na próxima fase do programa. Ela estabeleceu a meta como comprometimento com a continuidade do programa, além de articular empresariado para demanda da terceira etapa.

“Nosso objetivo é deixar claro que é possível contratar agora três milhões de moradias. Porque aquilo que está dando certo deve ter continuidade. As famílias de menor renda precisam continuar recebendo subsídio quase integral, tal como fizemos até agora. E nós precisamos sinalizar para os empresários se prepararem com terrenos, discutir com prefeitos para que isso ocorra a partir de 2015”, salientou.

Dilma exemplificou a importância do Minha Casa, Minha Vida com a história da dona Elisângela. Uma senhora beneficiada em conjunto residencial no Rio de Janeiro que no momento da mudança para o novo lar dizia: “Vem, gente, olha que maravilha! É apartamento mesmo, pode ver. E eu que achei que só ia entrar em apartamento em horário de serviço. Mas o 304 agora é meu e daqui ninguém me tira”.

“A alegria da dona Elisângela e o orgulho por estar entrando no apartamento próprio é melhor que qualquer discurso de como a casa própria traz o bem, faz o bem para as pessoas. Com o Minha Casa, Minha Vida estamos construindo, sim, um novo país para dezenas de milhões de brasileiros que viviam em áreas insalubres, em áreas de risco, moravam de favor em casa de parentes ou pagavam um aluguel que mal cabia no bolso”, comentou Dilma.

As 5.460 casas do Minha Casa, Minha Vida foram entregues em dez cidades de sete estados, além do Distrito Federal. O programa contemplou os seguintes municípios: Belford Roxo (RJ), Betim (MG), Curitiba (PR), Duque de Caxias (RJ), Governador Valadares (MG), Jequié (BA), Joinville (SC), Juazeiro do Norte (CE), Paranoá (DF), São Vicente (SP) e Santo André (SP).

Subsídios do Minha Casa, Minha Vida
A presidenta também defendeu a aplicação de recursos do Tesouro Nacional para continuar subsidiando unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida. Dilma explicou como funciona o subsídio, na prática, para um beneficiário do programa.

“No passado, políticos e economistas achavam que era um pecado mortal o governo federal tirar dinheiro do Tesouro e colocar de subsídio para aqueles que mais precisavam. Nós achamos que é uma virtude, é uma virtude perceber que quem ganha até 1.600 reais não cobre o preço da sua casa própria. O governo federal, para essa faixa até 1.600 reais, subsidia, coloca entre 90% a 95% do dinheiro da casa própria para que as pessoas que mais precisam tenham o seu lar, que é a condição primária de segurança pessoal, de segurança familiar”, analisou a presidenta.

Quarta-feira, 2 de julho de 2014 às 12:37

Minha Casa, Minha Vida garante direito de ter um lar digno, afirma Dilma

Quarta-feira, 2 de julho de 2014 às 12:37

Minha Casa, Minha Vida garante direito de ter um lar digno, afirma Dilma

Presidenta Dilma visita unidade habitacional de residencial do Minha Casa Minha Vida. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Presidenta Dilma visita unidade habitacional de residencial do Minha Casa Minha Vida. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Após 496 famílias receberem unidades habitacionais em Vila Velha (ES), nesta quarta-feira (2), a presidenta Dilma Rousseff classificou como importantíssimo a entrega das chaves às famílias que terão acesso ao “sonho da casa própria” graças aos subsídios do governo federal. A primeira etapa do residencial recebeu R$ 22,8 milhões do programa Minha Casa, Minha Vida.

“Aqui, no Residencial Vila Velha são 496 famílias, porque uma casa é uma família. Então, eu conto por família, são 496 famílias. E aí não é tijolo, não é alumínio, não é o azulejo, não é a cerâmica do chão, são os afetos que vão estar lá dentro”, comentou.

Dilma ainda destacou o balanço das casas do Minha Casa, Minha Vida no estado. Das 2,750 milhões de moradias do programa, 17,8 mil foram entregues, e 31 mil estão contratadas no Espírito Santo, beneficiando cerca de 50 mil famílias capixabas.

Residencial Vila Velha
O empreendimento em Vila Velha (ES) do Minha Casa, Minha Vida, foi contratado em três etapas, com investimento total de R$ 68,2 milhões. Cada etapa conta com 496 moradias, e depois de finalizadas, as duas restantes vão complementar benefício para 5.952 pessoas.

No total, são 1.488 apartamentos, distribuídos em 31 blocos no residencial localizado no bairro Jabaeté. As unidades com valor de R$ 46 mil, compostas de sala, dois quartos, cozinha, banheiro, área de serviço externa, com piso cerâmico em todos os ambientes. 26 destas unidades estão adaptadas para pessoas com deficiência.

Tanto as infraestruturas internas e externas do Residencial Vila Velha estão concluídas, com disponibilidade de transporte público para os moradores. Internamente, o empreendimento conta com parque infantil e quadra esportiva. As famílias ainda moram a cerca de 2 km de creches, escolas, postos de saúde e unidade de segurança.

Segunda-feira, 30 de junho de 2014 às 19:46

Dilma: Minha Casa, Minha Vida tem sentido de recomeço para famílias sem casa própria

Segunda-feira, 30 de junho de 2014 às 19:46

Dilma: Minha Casa, Minha Vida tem sentido de recomeço para famílias sem casa própria

Presidenta Dilma durante cerimônia de entrega de 998 unidades habitacionais dos Residenciais Zé Keti e Ismael Silva do programa Minha Casa Minha Vida. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Presidenta Dilma em cerimônia de entrega de 998 unidades dos Residenciais Zé Keti e Ismael Silva do programa Minha Casa, Minha Vida. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Na inauguração de 998 unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida, nesta segunda-feira (30) no Rio de Janeiro, a presidenta Dilma Rousseff considerou o programa como recomeço para famílias. Ela ressaltou a localização dos residenciais Zé Keti e Ismael Silva, além do acesso dos moradores a outros serviços públicos.

“Acho que aqui é um recomeço para muitas famílias que podem olhar o futuro e lembrar o seguinte: agora tem uma moradia. Na hora que colocar a chave na fechadura, abrir a porta e entrar, é isso que vocês têm: um lar a ser construído. E quando tem um lar, também vai ter futuro melhor, vai cuidar melhor das crianças, vão ter uma educação melhor. Aqui vocês vão ter todas essas garantias. Aqui vai ter escola, creche, vai ter todos os equipamentos sociais e na verdade, estão perto de tudo. Fica na verdade no centro do Rio. Por isso, é um recomeço e é também caminho para o futuro”, analisou.

Dilma reforçou ainda a continuidade do Minha Casa, Minha Vida para atender pessoas que ainda acessaram a casa própria. A presidenta lembrou das 3,750 milhões de moradias entregues desde 2009, e com estes resultados o governo adquiriu experiência para ampliar a meta na terceira etapa, a partir de 2015.

Zé Kéti e Ismael Silva
Os residenciais receberam investimento de R$ 31,4 milhões para 499 moradias em cada um. Ao todo, foram quase 4 mil pessoas beneficiadas no Rio de Janeiro. Os empreendimentos contam com 32 unidades adaptadas a pessoas com deficiência. Estão localizados a três quilômetros do centro da cidade e a quatro quilômetros do Aeroporto Santos Dumont, com disponibilidade de transporte público.

Confira a íntegra

Segunda-feira, 30 de junho de 2014 às 17:29

Programa de financiamento da casa própria entrega 998 apartamentos no centro do RJ

Governo entrega, nesta segunda-feira (30), 998 unidades dos Residenciais Zé Keti e Ismael Silva, no Rio de Janeiro, construídos por programa de financiamento da casa própria. Destinado a famílias com renda de até R$ 1,6 mil (Faixa I), o empreendimento recebeu investimento federal total de R$ 62,9 milhões do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR). Os residenciais são localizados no terreno do antigo Complexo Penitenciário Frei Caneca, no Centro do Rio.

O Pajé Tobi Itauna, 66, representa uma das 22 famílias indígenas entre as beneficiadas. Depois de rodar o país levando suas ervas medicinais, Tobi, da tribo Tupi-guarani do Amazonas, possui ervanário na cidade de Guapimirim, a 70 km do Rio de Janeiro. Sem moradia, ele vive nos fundos da loja.

“Esse apartamento é excelente porque eu não tenho casa mesmo, sou um andarilho. Mas a gente precisa de um espaço que seja uma raiz. E quando meu filhos e minha família vierem, terem lugar para ficar. E também não só a minha etnia. É qualquer parente indígena que vem para o Rio de Janeiro de outros estados do país para fazer faculdade, a trabalho. (…) Então é até um local para ele ficar junto com a gente. Índio com índio.”

Todos os apartamentos têm área privativa de 43,23m², divididos em dois quartos, sala, circulação, banheiro, cozinha e área de serviço, com piso cerâmico em todos os ambientes. As unidades estão avaliadas em R$ 63 mil e 16 delas foram adaptadas para pessoas com deficiências.

Para o superintendente regional da Caixa no Rio de Janeiro, José Domingos Martins, a localização do empreendimento é um grande diferencial para o projeto.

“Agora, com os residenciais Ismael Silva e Zé Keti, vamos chegar a 66 mil casas entregues no estado do Rio de Janeiro. O local tinha uma depreciação de todo o entorno daquela região do Centro, e em um processo de revitalização de toda essa região, nós conseguimos incluir também esse projeto. O conjunto residencial está a três quilômetros do centro do Rio de Janeiro e a cinco quilômetros da rodoviária (…) Nós temos no entorno cinco hospitais, cinco escolas, creches, facilidade de transporte público. Ônibus, metrô. Tem acesso ao metrô a pé do empreendimento.”

Os condomínios têm ainda centro administrativo, centro comunitário, guarita, pavimentação, depósito de lixo, postos de depósito complementar de coleta de lixo, cisterna, casa de bombas, quadra gramada, playground infantil e áreas livres gramadas. O residencial possui infraestrutura completa, com água, esgoto, energia elétrica, drenagem, iluminação pública e disponibilidade de acesso ao transporte público.

Segunda-feira, 30 de junho de 2014 às 15:31

Lançamento da 2ª etapa do Ciência sem Fronteiras, entrega de moradias e anúncio de investimentos em mobilidade urbana

Segunda-feira, 30 de junho de 2014 às 15:30

Programa de financiamento da casa própria entrega 998 apartamentos no centro do RJ

Sábado, 28 de junho de 2014 às 10:30

Lançamento da 2ª etapa do Ciência sem Fronteiras, entrega de moradias e anúncio de investimentos em mobilidade urbana

Tweets

Portal da Copa

Portal da Copa

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-