Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:


Quinta-feira, 2 de outubro de 2014 às 11:04

Prédio no centro de São Paulo será transformado em moradia popular

Reforma do edifício Ipiranga, abandonado há quatro anos, beneficiará 120 famílias. Foto: divulgação PAC.

Reforma do edifício Ipiranga, abandonado há quatro anos, beneficiará 120 famílias. Foto: divulgação PAC.

O programa de habitação popular do governo federal financia, pela primeira vez, a reforma de um prédio vazio para transformá-lo em habitação popular. Localizado no centro de São Paulo, o edifício Ipiranga, abandonado há quatro anos, será moradia para 120 famílias com renda mensal de até R$ 1,6 mil. O contrato foi assinado nessa sexta-feira (26), entre a Caixa Econômica Federal e a Unificação das Lutas de Cortiço (ULC).

O edifício possui 21 andares e 7,1 mil metros quadrados de área construída. Serão até seis unidades habitacionais em cada piso, cada uma medindo entre 25 e 63 metros quadrados. A reforma está prevista para terminar em 18 meses e terá investimento de R$ 11,6 milhões, sendo R$ 9,2 milhões pelo governo federal e R$ 2,4 milhões pelo governo estadual.

Na categoria de financiamento contratada, a ULC será responsável pela contratação e fiscalização da empreiteira que fará a obra. As famílias que assumirem o financiamento vão pagar prestação mensal de 5% da renda bruta familiar ou R$ 25, o que for maior. O edifício, situado no número 1.125 da Avenida Ipiranga, foi cedido pela Secretaria do Patrimônio da União por meio da Concessão de Direito Real de Uso (CDRU).

Para o diretor de habitação da Caixa, Teotônio Rezende, a reforma vai garantir uma função social do imóvel, que estava abandonado. “A contratação de um projeto de moradia que prevê a requalificação de um prédio vazio em área central da cidade de São Paulo garante função social ao imóvel e permite uma integração com os serviços e infraestruturas disponíveis no centro. A conjunção de recursos públicos para habitação com uma regulamentação municipal que reconhece a importância da área central, como é hoje o Plano Diretor de São Paulo/SP, permite avanços no enfrentamento do déficit habitacional, com qualidade e retorno para toda a cidade”, disse.

Segundo a Caixa, outros projetos de requalificação em áreas centrais estão em análise.

Requalificação de Imóveis
Outras experiências de requalificação de imóveis já foram implantadas com diferentes modalidades de crédito. No programa habitacional de baixa renda que usa recursos do Fundo de Desenvolvimento Social (FDS), foram contratadas reformas em imóveis do patrimônio público, como, por exemplo, o Residencial Conquista, prédio com 42 apartamentos populares localizado no centro de Porto Alegre (RS), e do Condomínio Manhattan, com 168 unidades habitacionais, que está em execução em Aracaju (SE).

Quarta-feira, 2 de julho de 2014 às 12:37

Minha Casa, Minha Vida garante direito de ter um lar digno, afirma Dilma

Quarta-feira, 2 de julho de 2014 às 12:37

Minha Casa, Minha Vida garante direito de ter um lar digno, afirma Dilma

Presidenta Dilma visita unidade habitacional de residencial do Minha Casa Minha Vida. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Presidenta Dilma visita unidade habitacional de residencial do Minha Casa Minha Vida. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Após 496 famílias receberem unidades habitacionais em Vila Velha (ES), nesta quarta-feira (2), a presidenta Dilma Rousseff classificou como importantíssimo a entrega das chaves às famílias que terão acesso ao “sonho da casa própria” graças aos subsídios do governo federal. A primeira etapa do residencial recebeu R$ 22,8 milhões do programa Minha Casa, Minha Vida.

“Aqui, no Residencial Vila Velha são 496 famílias, porque uma casa é uma família. Então, eu conto por família, são 496 famílias. E aí não é tijolo, não é alumínio, não é o azulejo, não é a cerâmica do chão, são os afetos que vão estar lá dentro”, comentou.

Dilma ainda destacou o balanço das casas do Minha Casa, Minha Vida no estado. Das 2,750 milhões de moradias do programa, 17,8 mil foram entregues, e 31 mil estão contratadas no Espírito Santo, beneficiando cerca de 50 mil famílias capixabas.

Residencial Vila Velha
O empreendimento em Vila Velha (ES) do Minha Casa, Minha Vida, foi contratado em três etapas, com investimento total de R$ 68,2 milhões. Cada etapa conta com 496 moradias, e depois de finalizadas, as duas restantes vão complementar benefício para 5.952 pessoas.

No total, são 1.488 apartamentos, distribuídos em 31 blocos no residencial localizado no bairro Jabaeté. As unidades com valor de R$ 46 mil, compostas de sala, dois quartos, cozinha, banheiro, área de serviço externa, com piso cerâmico em todos os ambientes. 26 destas unidades estão adaptadas para pessoas com deficiência.

Tanto as infraestruturas internas e externas do Residencial Vila Velha estão concluídas, com disponibilidade de transporte público para os moradores. Internamente, o empreendimento conta com parque infantil e quadra esportiva. As famílias ainda moram a cerca de 2 km de creches, escolas, postos de saúde e unidade de segurança.

Segunda-feira, 23 de junho de 2014 às 11:17

Dilma: Queremos que brasileiros tenham a segurança e a riqueza da casa própria

Presidenta Dilma visita casa do Residencial Macapaba, entregue hoje em Macapá (AP).

Presidenta Dilma visita casa do Residencial Macapaba, entregue hoje em Macapá (AP). Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.

A presidenta Dilma Rousseff destacou o esforço do governo federal para a população brasileira ter acesso à casa própria, na entrega de 2.148 casas e apartamentos do Minha Casa, Minha Vida, em Macapá (AP), nesta segunda-feira (23). Ela afirmou que este patrimônio é a riqueza distribuída ao se investir o dinheiro dos impostos em habitação popular.

“O Minha Casa, Minha Vida está distribuindo riqueza pelos brasileiros, garantindo acesso à casa própria. Resolver realizar o sonho da casa própria, esse imenso sonho que é ter um lar para criar os filhos, receber os amigos, receber todas aquelas oportunidades, de fato, é o que faz a vida da gente valer a pena. A casa própria é lar, mas também riqueza, não vamos esquecer. A partir de agora, a parte que mais precisa da população brasileira também tem acesso a riqueza, patrimônio da sua casa”, constatou.

No total, o governo investiu R$ 265 milhões nos residenciais Macapaba 1 e 2, em Macapá. Neste ano, eles beneficiarão mais de 17 mil pessoas com 4.366 moradias, após a entrega da 2ª etapa, prevista para agosto.

“Nesse residencial vão ter 4.366 famílias, 1% da população de Macapá. E vão ter também aqui um novo caminho de oportunidades. No final desse período, até o final desse ano, nós esperamos ter, entre entregues e contratadas, 10 mil moradias, sendo precisa, 10.147. Nós construímos casas e vocês constroem novos sonhos, novos sonhos para vocês, para suas famílias, para as crianças, para os meninos e para as meninas”, comentou a presidenta.

Localizado na BR-156, Km 3,9, o Residencial Macapaba 1 é composto por 164 casas e 1.984 apartamentos distribuídos em 124 blocos com 16 apartamentos cada. As casas têm área privativa de 39,68m² e os apartamentos 44,50m², todos divididos em 2 quartos, circulação, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, com piso cerâmico em todos os ambientes. As casas estão avaliadas em R$ 58,69 mil e os apartamentos em R$ 60,69 mil.

Segunda-feira, 23 de junho de 2014 às 11:17

Dilma: Queremos que brasileiros tenham a segurança e a riqueza da casa própria

Quinta-feira, 5 de junho de 2014 às 17:00

Meta do Minha Casa, Minha Vida 3 é entregar três milhões de moradias, afirma Dilma

Residencial do Minha Casa Minha Vida em Bauru/SP. Foto:

Residencial do Minha Casa Minha Vida em Bauru/SP.

A terceira fase do programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida” tem como objetivo mais realista executar 3 milhões de moradias, segundo a presidenta Dilma Rousseff, durante a 43ª Reunião Plenária do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), nesta quinta-feira (5). Ela considerou que é um objetivo mais próximo do que as empresas foram capazes de executar nos períodos anteriores, mas ressalta que o número pode aumentar.

“Estamos propondo a definição de 3 milhões. Se for a mesma ampliação do período 2011/2014, vamos chegar a 4 milhões. Em torno de 4 milhões, o que daria 1 milhão de moradias no ano. (…) É possível chegar neste número, mas não colocamos como meta. A meta mais realista, mais próxima do que as empresas foram capazes de executar é 3 milhões. Fiz essa ressalva para dizer que a meta é assim”, comentou.

Num balanço da primeira e da segunda fase do programa, Dilma destacou a importância da parceria com o setor privado e com os movimentos sociais na contratação de 3,750 milhões de moradias, entre 2009 e 2014.

Domingo, 1 de junho de 2014 às 12:24

Dilma entrega moradia a 564 famílias em Manguinhos (RJ)

A presidenta Dilma Rousseff inaugura 564 unidades habitacionais do Complexo de Manguinhos, Rio de Janeiro (RJ), neste domingo (1). O empreendimento, construído com investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), é composto de 23 blocos de apartamentos e possui também áreas de lazer e de circulação, com praça arborizada, ciclovia, espaço para recreação infantil e quadra poliesportiva, além de estacionamento com 74 vagas em volta de uma pista central de mão dupla para circulação interna.

As famílias que receberão as chaves dos apartamentos, moravam em condições precárias nos antigos galpões da Cooperativa Central dos Produtores de Leite (CCPL), que existiam na localidade. Cândida Maria Privado, líder comunitária, descreveu ao Blog do Planalto as dificuldades que enfrentavam.

“Tinha muito rato, enchente. (…) Na chuva, todo mundo tinha medo, a enchente era quase três metros, passou na televisão para todo mundo ver, pessoas perderam tudo, não tinham nada e ainda perderam o que não tinham”, contou.

Com a entrega do empreendimento as famílias passarão a viver em habitações seguras e confortáveis. Cada bloco tem quatro andares e cada apartamento mede 37,6 metros quadrados de área construída, dividida em dois quartos, sala, cozinha e banheiro. As 38 moradias destinadas a pessoas com deficiência, possuem as mesmas dependências, mas em 48,7 metros quadrados. As unidades habitacionais têm piso cerâmico em todas as dependências.

“Vão ter uma conta de luz, uma conta de água que vem o nome deles ali. Quer coisa melhor que cidadania? Uma coisa maravilhosa, uma coisa que eles nunca [tiveram] na vida deles era uma conta de água. Eles iam abrir um crediário e não podiam abrir porque não tinham um comprovante de residência. (…) Um apartamento desse aqui: dois quartos, sala, cozinha, banheiro, um chuveiro quente, (…) com luz, não tem mosquito. (…) Vai ter uma quadra de futebol, os parquinhos – coisa que não tinha, eles brincavam de pau, de garrafa de pet. (…) Tem uma pista para andar de bicicleta”, disse a líder comunitária.

Terça-feira, 4 de junho de 2013 às 9:00

Em coluna, Dilma fala sobre os subsídios do Minha Casa, Minha Vida

Conversa com a PresidentaA presidenta Dilma Rousseff, na coluna Conversa com a Presidenta desta terça-feira (4), falou dos subsídios e dos juros cobrados para os usuários do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, que variam de acordo com a renda da família e com o município onde o imóvel vai ser comprado. Ela explicou que são três faixas de renda atendidas pelo programa – de R$ 1,6 mil a R$ 5 mil – e que, além de juros abaixo do cobrado pelo mercado, os seguros também têm preço reduzido.

“Para você entender melhor, o MCMV considera três faixas de renda. A primeira é destinada a famílias com renda mensal inferior a R$ 1.600,00, que podem receber subsídios de até 96% do valor do imóvel, pois sem a ajuda do governo, não teriam acesso a uma moradia digna. Para a segunda faixa, para o segmento de renda familiar como a sua, acima de R$ 1.600 até R$ 3.275, os juros cobrados são menores que os de mercado e os subsídios podem chegar a R$ 25 mil por família, sendo que, quanto menor a renda familiar, maior o valor subsidiado. Na terceira faixa, a partir da renda familiar de R$ 3.275 até R$ 5.000, não existe subsídio no valor do imóvel, mas as taxas de juros também são menores que as de mercado. O valor dos seguros que cobrem os riscos de morte, invalidez permanente, danos físicos do imóvel, e perda temporária de emprego ou renda também são reduzidos”, explicou Dilma, em resposta a Ailton Emilio Gouvea, motorista em Barra Mansa (RJ).

Confira a íntegra

Terça-feira, 7 de maio de 2013 às 9:00

Em coluna, Dilma fala sobre o programa Minha Casa, Minha Vida Rural

Conversa com a PresidentaNa coluna Conversa com a Presidenta desta terça-feira (7), a presidenta Dilma Rousseff explicou as regras para construção ou reforma de residência em zona rural, pelo programa Minha Casa, Minha Vida Rural. Ao responder pergunta da lavradora Shirley Pereira Ribeiro, de Baependi (MG), Dilma lembrou que as famílias com renda anual de até R$ 15 mil têm direito a um financiamento de até R$ 28,5 mil, e que paga de volta apenas 4% do valor emprestado.

“O programa Minha Casa, Minha Vida Rural está presente em todos os estados do país e foi feito justamente para garantir o acesso a uma moradia digna aos agricultores familiares e aos trabalhadores rurais. (…) Para os moradores da Região Norte do país, o valor do subsídio pode chegar a R$ 30.500,00 para a construção e a R$ 18.400,00 para reforma da moradia. (…) As casas localizadas onde houver necessidade poderão ser entregues com cisternas de placas, para garantir armazenagem de água, questão muito importante na região semiárida do país”, afirma.

A presidenta ainda falou sobre o envio ao Congresso da proposta que destina recursos do pré-sal para a educação. Segundo Dilma, a educação de qualidade é o caminho para garantir de forma permanente recordes alcançados nos últimos anos na geração de empregos, na valorização do salário e nas conquistas sociais dos trabalhadores. Ela pediu que os brasileiros incentivem seus deputados e senadores a apoiar essa iniciativa, única forma de, para ela, garantir o ensino da creche ao doutorado.
Confira a íntegra


Terça-feira, 16 de abril de 2013 às 11:59

Dilma entrega 1.640 unidades habitacionais em Ribeirão das Neves (MG)

A presidenta Dilma Rousseff entregou nesta terça-feira (16) 1.640 unidades habitacionais do Residencial Alterosa, construído com recursos do Minha Casa Minha Vida, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. O empreendimento vai beneficiar famílias com renda de até R$1,6 mil.

» Vídeo: beneficiárias falam da entrega de moradias do Minha Casa, Minha Vida

O conjunto habitacional é composto por 82 blocos de 20 apartamentos e contemplará cerca de 6,5 mil pessoas. Os apartamentos têm área privativa de 41 m², divididos em 2 quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço. O condomínio dispõe de estacionamento, centro comunitário, quadra de esporte e campo de futebol.

O empreendimento também oferece apartamentos adaptados para portadores de necessidades especiais, com área maior para possibilitar o giro de 360 graus da cadeira de rodas, além de portas e janelas também adaptadas.

Máquinas agrícolas e ônibus escolares

Na mesma solenidade, a presidenta Dilma entregará 58 máquinas motoniveladoras, 50 máquinas retroescavadeiras e 19 ônibus escolares a 102 municípios mineiros. O investimento é de mais de R$ 25 milhões, e a distribuição das máquinas agrícolas faz parte da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), via Ministério do Desenvolvimento Agrário. O principal objetivo é a construção e a manutenção de estradas que ligam a zona rural à zona urbana.

O programa Caminho da Escola visa renovar e padronizar a frota de veículos de transporte escolar, para garantir segurança e qualidade, contribuindo para o acesso e a permanência dos alunos nas escolas da rede pública da educação básica.

Tweets

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-