Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:


Terça-feira, 8 de dezembro de 2015 às 21:47

Dilma se reúne com governadores para acelerar Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia

Dilma com governadores - microcefalia

Medidas mais urgentes são combate aos focos do mosquito transmissor, o aedes aegyptie, e na proteção de mulheres em período fértil e gestantes. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidenta Dilma Rousseff se reuniu nesta terça-feira (8), no Palácio do Planalto, com governadores de estado para tratar das ações do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia. As medidas mais urgentes estão centradas no combate aos focos do mosquito transmissor, o aedes aegypti, e na proteção de mulheres em período fértil e gestantes, sobretudo nos três primeiros meses de gestação.

“A microcefalia é um drama muito sério e temos que combatê-la com todas as forças. Para isso, a presidenta Dilma convocou todos os governadores e colocou à disposição o Exército Nacional, a Defesa Civil, os agentes comunitários de saúde e os agentes de combate às endemias. Toda a sociedade brasileira precisa ser mobilizada”, afirmou o ministro da Saúde, Marcelo Castro, após o encontro.

988999-08122015_fpz__8906

Castro: governo atuará com o Exército, Defesa Civil, agentes comunitários de saúde e agentes de combate a endemias. Foi também foi montado um centro de controle e avaliação de todas as ações do plano. Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Segundo Castro, foi montado no Ministério de Integração Nacional um centro de controle e avaliação de todas as ações do plano. Além disso, será montados um centro regional em cada estado, que será integrado a Brasília. “O governo fará tudo para combater esse problema tão grave que o Brasil está passando”, disse.

A maior proliferação do mosquito ocorre entre os meses de fevereiro, por isso o ministro ressaltou necessidade de acelerar o plano de enfrentamento. “Temos que fazer um trabalho urgente, visitando todas as casas e destruindo os criadouros de mosquito. É qualquer água acumulada”, disse Castro.

O ministro informou ainda que, até o momento, foram registrados 1.761 casos suspeitos de microcefalia, em 422 municípios de 14 unidades da federação. O estado de Pernambuco registrou o maior número de casos (804). Em seguida estão os estados da Paraíba (316) e Bahia (180).

Quarta-feira, 14 de outubro de 2015 às 8:07

Minha Casa Minha Vida, Laboratório de Tecnologia Canavieira e Congresso dos Pequenos Agricultores

Agenda presidencialA presidenta Dilma Rousseff faz, nesta quarta-feira (14), em São Carlos (SP), a entrega simultânea de 3.422 moradias do Minha Casa em São Paulo, Minas Gerais e Bahia. Às 12h30, participa da cerimônia de inauguração do Laboratório de Biotecnologia Agrícola do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), na Fazenda Santo Antônio, em Piracicaba (SP).

Às 15h30, participa do I Congresso Nacional do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), em – São Bernardo do Campo (SP). A presidenta retorna a Brasília às 17h25.

*Agenda sujeita a alterações ao longo do dia. Para atualizações, acesse o Portal Planalto.

Domingo, 11 de outubro de 2015 às 15:00

Semana em imagens: Novos ministros, MCMV Bahia e visita à Colômbia


Quarta-feira, 7 de outubro de 2015 às 18:35

Dilma garante que Minha Casa vai continuar: “Diante das dificuldades, temos de ter é coragem”

Dilma entrega casas em Barreiras

Dilma: só na Bahia, já foram entregues, nesse ano,, 17,7 mil moradias do Minha Casa, Minha Vida, o que significa entregar quase 3 casas por hora. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidenta Dilma garantiu nesta quarta-feira (7), em Barreiras (BA), que manterá os investimentos no Programa Minha Casa Minha Vida, apesar das limitações que a crise financeira internacional impõe ao Brasil. “Todos aqui sabem que nós tivemos que adotar medidas para reequilibrar os gastos do governo. (…) Cortamos vários gastos. Mas nós preservamos os programas sociais”.

E acrescentou: “Diante das dificuldades, o que nós temos de ter é coragem e determinação para enfrentar o problema. A gente não pode se atemorizar nunca diante da dificuldade”, assegurou.

“Eu quero dizer para vocês que o Minha Casa Minha Vida vai continuar. Nós vamos fazer o Minha Casa Minha Vida 3. Vamos continuar com o que falta entregar do Minha Casa Minha Vida 2, dos 4 milhões, já entregamos 2 milhões e mais de 300 mil casas. Então está faltando entregar 1,600 milhão”, contabilizou Dilma.

Apenas na Bahia, a presidenta relatou que já foram entregues, nos primeiros nove meses de 2015, “que está sendo um ano difícil”, 17 mil e 700 casas do Minha Casa Minha Vida. “O que significa esse número: 17.700? Significa entregar quase três casas por hora, todos os 279 dias deste ano. Mesmo com dificuldade, nós fizemos isso”.

Outro exemplo: somente em 2015 o governo colocou mais 388 profissionais do Mais Médicos na Bahia. “Com isso, são 1.700 médicos novos, que o governo federal arca com todos os custos, para garantir que em cada município do Brasil tenha médicos, o que não acontecia antes”.

Além disso, estão sendo feitos investimentos para melhorar a infraestrutura de saúde. Neste ano de 2015, foram entregues 83 postos de saúde novos e reformados 376. Foram entregues também 8 Upas. E, em setembro, 313 mil baianos retiraram medicamentos gratuitos para diabetes, hipertensão e asma na rede Aqui Tem Farmácia Popular.

“Eu garanto a vocês que nenhum desses programas vai parar, porque são todos muito importantes para o País. Aqui [na Bahia], em 2015, tivemos milhares de jovens entrando nas universidades. Milhares entrando no Pronatec. Centenas de crianças indo para as creches”, enumerou.

Os números comprovam que o governo está comprometido com a população e, por isso, tem de agir em duas frentes: “Tem de cuidar, sim, das finanças. Não pode jogar dinheiro pela janela. Tem sempre de procurar fazer mais com menos. Mas sempre tem de fazer mais para aqueles que mais precisam, é para eles que nós temos de fazer mais”.

Quarta-feira, 7 de outubro de 2015 às 16:39

Miriam Belchior: 1 em cada 4 moradores de Feira de Santana será beneficiado pelo Minha Casa

Para Miriam, número de beneficiados mostra força força do programa, que existe no Brasil inteiro: “Com os recursos do governo federal, é possível garantir isso”. Foto: Rodrigo Oliveira/ACN

Para Miriam, número de beneficiados mostra força força do programa, que existe no Brasil inteiro: “Com os recursos do governo federal, é possível garantir isso”. Foto: Rodrigo Oliveira/ACN

O Minha Casa, Minha Vida 1 e 2 vai atender 26% da população da cidade de Feira de Santana (BA), afirmou nesta quarta-feira (7) a presidenta da Caixa Econômica Federal, Miriam Belchior, ao participar da entrega simultânea de 2.781 unidades habitacionais do programa em diversas cidades da Bahia, feita pela presidenta Dilma Rousseff. Ao todo, as moradias vão beneficiar mais de 11 mil pessoas no estado.

“Para a gente ter uma ideia do que é isso, de quatro pessoas de Feira de Santana, uma vai morar no Minha Casa, Minha Vida. Essa é a força do programa, que existe no Brasil inteiro. E aqui, em Feira de Santana, com os recursos do governo federal, é possível garantir isso”, comemorou ela, ao entregar a chave que simboliza todos os novos proprietários das casas à senhora Carolina, que é mãe de seis filhos e também é beneficiária do Bolsa Família.

“Ela vai, agora, criar seus filhos em melhores condições”, destacou. Miriam contou que muitos dos beneficiários presentes estavam morando em casas de parentes e, a partir de hoje, vão ter a alegria de realizar o sonho da casa própria.

Filhos das famílias beneficidas pelo Minha Casa Minha Vida em um dos parquinhos do Residencial Parque da Cidade em Feira de Santana. Foto: Naiara Costa/Caixa

Crianças das famílias beneficidas pelo Minha Casa Minha Vida em um dos parquinhos do Residencial Parque da Cidade, em Feira de Santana. Foto: Naiara Costa/Agência Caixa

Por meio de um link direto com a presidenta Dilma, que estava, ao mesmo tempo, entregando casas do programa em Barreiras (BA), Miriam contou que supervisionou o Residencial Parque da Cidade, que tem 732 apartamentos, que dispõem de toda a infraestrutura necessária às famílias que lá vão morar.

“O conjunto aqui, presidenta, é de apartamentos. Eu olhei, como a senhora pede que a gente faça, está muito bem feito. Aqui tem centro comunitário, tem parquinho para as crianças, tem quiosque para o pessoal bater papo, tomar um guaraná ou uma cerveja, tem quadra esportiva para toda a molecada”.

Quarta-feira, 7 de outubro de 2015 às 14:42

‘Nunca aconteceu na minha vida uma coisa tão boa’, afirma beneficiária do Minha Casa Minha Vida

A partir desta quarta-feira (7) quase 1,5 mil famílias de baixa renda beneficiadas pelo programa Minha Casa Minha Vida no município de Barreiras, no oeste da Bahia, iniciam uma nova fase de suas vidas, quase sempre marcadas por histórias de dificuldade e de superação.

Para entender o significado da conquista da moradia para essas pessoas, o Blog do Planalto foi até o mutirão de assinatura de contratos do Minha Casa Minha Vida, que aconteceu no bairro Vila Nova, em Barreiras, alguns dias antes da entrega das chaves pela presidenta Dilma Rousseff.

Lá, conheceu histórias como a da agricultora aposentada Geraldina Ferreira, de 63 anos. Mãe de onze filhos, Dona Geraldina trabalhou a vida inteira na roça, na zona rural de Barreiras.

Dona Geraldina, que quase não pôde frequentar a escola, assinou “devagarinho” o contrato da casa própria. “Esse foi o momento mais feliz da minha vida”, revelou. Foto: Ana Carolina Melo/Blog do Planalto.

Dona Geraldina, que tem dificuldades para assinar o próprio nome, assinou “devagarinho” o contrato da casa própria. “Esse foi o momento mais feliz da minha vida”, revelou. Foto: Ana Carolina Melo/PR.

Com uma vida de dificuldades, ela quase não pôde frequentar a escola e, hoje, aos 63 anos, ainda tem dificuldades para assinar o próprio nome. “Eu assinei devagarinho, para não errar”, contou, logo após assinar o contrato da casa própria. E revelou: “Esse foi o momento mais feliz da minha vida. Nunca aconteceu na minha vida uma coisa tão boa. […] Essa casa é a realização de um sonho de uma vida inteira”, acrescentou.

Além disso, Dona Geraldina destacou a satisfação que sentiu quando conheceu “a casinha que vai viver daqui para frente” – como disse – no Residencial São Francisco. “Reparei que lá tem tudo arrumadinho, novinho: cerâmica, porta boa, banheiro bonito, vaso [sanitário] bom! Eu mesmo gostei, achei bom demais!”, disse.

E se despediu afirmando que vai viver uma “vida nova em uma casa que é sua” ao lado de dois dos seus filhos. Antes disso, Dona Geraldina pagava R$ 250 de aluguel numa casa que ela mesmo chamou de “ruim”.

Quem também vai viver uma vida nova daqui para frente no residencial São Francisco é a recepcionista Paula Pereira de Jesus, de 31 anos. Mãe solteira, ela cuida sozinha dos dois filhos: Luiz Gustavo, de um ano, e Pedro Henrique, de dois. Antes disso, ela morava com a mãe em uma casa pequena. Para Paula, é uma felicidade pensar, que a partir de agora, na sua família, cada um vai ter o seu espaço e a sua privacidade.

Paula de Jesus é mãe solteira e cuida sozinha dos dois filhos: Luiz Gustavo e Pedro Henrique. “Essa casa vai ser o nosso lar. O lugar onde eu vou poder criar os meus filhos”, afirmou. Foto: Ana Carolina Melo/Blog do Planalto.

Paula de Jesus é mãe solteira e cuida sozinha dos dois filhos: Luiz Gustavo e Pedro Henrique. “Essa casa vai ser o nosso lar. O lugar onde eu vou poder criar os meus filhos”, afirmou. Foto: Ana Carolina Melo/PR

“Para mim, que sou mãe solteira e cuido sozinha dos meus filhos, as coisas não são fáceis. Essa casa vai ser o nosso lar.  Um lugar apropriado onde eu vou poder criar os meus filhos com conforto e segurança”, comemora.

Ela também revelou ao Blog do Planalto que já fez a vistoria na casa onde vai morar e que gostou muito. “O condomínio é lindo, tudo organizadinho, arrumadinho. Eu gostei muito. Tomara que os novos moradores procurem preservar o local.”

É o que também espera a diarista Josenaide de Jesus Oliveira, de 25 anos, e o marido Jacinto Silva, servente de obras. Eles são pais de Wesley, de oito anos, e de Nícolas, de quatro.

A família vivia amontoada em uma kitnet no bairro do Ouro Branco, na periferia de Barreiras. Josenaide e Jacinto pagavam R$ 400 de aluguel. De agora em diante, o casal vai pagar R$ 33 de prestação por um apartamento de dois quartos.

“Lá a gente vivia muito apertado. Os meninos dormiam com a gente. Agora o Wesley e o Nicolas vão ter o quartinho deles, a caminha deles. É um sonho mesmo. Os meninos não acreditam até agora”, contou a diarista.

Josenaide de Oliveira ao lado dos filhos Wesley (à esquerda) e Nícolas, Para Josenaide, no Residencial São Francisco, os meninos vão crescer em um ambiente muito mais adequado e seguro. Foto: Ana Carolina Melo/ PR.

Josenaide de Oliveira ao lado dos filhos Wesley (à esquerda) e Nícolas, Para Josenaide, no Residencial São Francisco, os meninos vão crescer em um ambiente muito mais adequado e seguro. Foto: Ana Carolina Melo/ PR.

Além disso, Josenaide destacou a tranquilidade que sente de, a partir de agora, poder criar os filhos em um ambiente mais seguro e adequado para o desenvolvimento de uma criança. Segundo ela, no bairro em que moravam, os filhos ficavam muito mais sujeitos ao contato com a violência e com o tráfico de drogas.

“Lá eles vão ter lugar para brincar, para andar de bicicleta, tem pracinha, parquinho… Sem contar que lá eles vão ficar muito mais seguros. Onde a gente mora hoje eles ficam sujeitos a muita coisa ruim”,acrescentou.

Sexta-feira, 14 de agosto de 2015 às 20:50

Dialoga tem sentido de cidadania por ampliar participação popular, afirma Dilma

Dilma com o Ilê Ayê

“Não seremos de fato uma nação desenvolvida sem cultura e sem dar acesso a uma educação de qualidade para os brasileiros”, diz Dilma sobre entrada desse tema na plataforma Dialoga Brasil. Foto: R. Stuckert Filho

A presidenta Dilma Rousseff destacou nesta sexta-feira (14), em Salvador, a importância simbólica de que a primeira edição do Dialoga Brasil fora de Brasília tenha sido realizada hoje, na Bahia. “Começamos bem”, disse ela, acrescentando que a Bahia sintetiza toda a diversidade, que deve ser a base do respeito e do diálogo. O encontro marcou a inclusão de temas da Cultura na plataforma do Dialoga Brasil.

Sete políticas e programas do MinC se juntarão a outros 80 que já compõem o Dialoga Brasil: Agenda Século XXIBrasil de Todas as TelasCultura e EducaçãoPAC Cidades HistóricasPolítica Nacional das ArtesPolítica Nacional de Cultura Viva e Vale-Cultura.

A plataforma Dialoga Brasil tem um sentido de cidadania, de ampliar os graus de participação popular. Quando as perguntas aparecem, a tecnologia permite que aconteça um diálogo entre aqueles que estão presentes e os que não estão aqui”, afirmou.

Desta forma, disse a presidenta, o governo está abrindo, por meio do Dialoga Brasil, um caminho para que a população possa falar diretamente com o governo. O que é muito importante disse, porque “assim como a criança ensina a mãe, o povo também ensina os governantes”, por meio da troca de opiniões. “Nós, aqui, estamos aprendendo junto com vocês”, enfatizou.

Acrescentou que esse caminho do esclarecimento e da participação vai justamente contra a prática insidiosa de criar, no Brasil, um clima de quanto pior, melhor , afirmou ela. Essa prática, criticou, “vem de quem não tem compromisso como País, com as conquistas que alcançamos nos últimos anos”.

Cultura
Dilma destacou ainda a importância dos programas que já estão em debate no Dialoga Brasil e da Cultura, que passou a fazer parte da plataforma a partir desta sexta-feira. Segundo ela, uma das frases do seu programa de governo é que superar a pobreza é apenas o início e é preciso continuar na luta para melhorar a vida dos brasileiros.

 “Superar a miséria é só o início. É o início de serviços melhores na área de educação. E aí entra a cultura. É também ter acesso a um padrão de cultura que é fundamental para identidade do nosso povo. Não seremos de fato uma nação desenvolvida sem cultura e sem dar acesso a uma educação de qualidade para os brasileiros”.

E acrescentou: “Uma das coisas mais importantes que se pode fazer junto é se expressar. E a cultura é isso, é a forma mais forte de expressão para entrarmos em contato um com o outro. Porque o que nos distingue é a nossa capacidade imensa de nos socializar”.

Sexta-feira, 14 de agosto de 2015 às 20:30

Governo recebeu mais de 8 mil propostas pelo Dialoga Brasil nos primeiros 15 dias

Vários ministros de Estado explicaram como a plataforma digital Dialoga Brasil pode contribuir para melhorar as políticas públicas durante a participação da presidenta Dilma Rousseff no evento Dialoga Bahia, nesta sexta-feira (14), em Salvador.

O ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto, abriu o evento informando que, somente nos primeiros 15 dias da plataforma, mais de um milhão de pessoas visitaram e interagiram no site. Foram mais de 8 mil propostas, com 160 mil votações.

“Esse diálogo produz boas políticas, inova, cria e corrige. Portanto, nós temos permanentemente participado, todos os ministros, desse intenso processo de avaliação permanente e de construção das nossas políticas públicas”.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, lembrou que o Dialoga Brasil, além de uma ferramenta de participação, é também um espaço para conhecer as políticas públicas do governo, como a redução da pobreza e da mortalidade infantil.

“Muita gente, por exemplo, não sabia, no caso do Bolsa Família, e vai saber se entrar na página do Dialoga Brasil, que o programa, ao contrário do que as pessoas acham, não tira ninguém do trabalho. São só, em média, 170 reais por família. Alguém ia deixar de trabalhar, de ganhar um salário mínimo, de ter carteira assinada, para ganhar 170 reais por mês?”, questionou a ministra.

Segundo a ministra, o conhecimento das iniciativas contribui para uma participação mais eficaz do cidadão. “Temos muito a avançar e um longo caminho. E certamente chegaremos mais rápido e mais longe se estivermos juntos e se tivermos a opinião de cada um no Dialoga Brasil”.

Sexta-feira, 14 de agosto de 2015 às 14:23

Governo desenvolveu políticas que evitaram êxodo rural e saques a supermercados na seca

"Hoje você não vê pessoas invadindo supermercados porque não têm o que comer, porque elas têm os programas sociais do governo”, disse Dilma.Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

“Hoje você não vê pessoas invadindo supermercados porque não têm o que comer, porque elas têm os programas sociais do governo”, disse Dilma.Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A região Nordeste passou, nos últimos anos, pela maior seca em 100 anos. Mas as políticas públicas do governo federal evitaram que houvesse, como no passado, êxodo rural e atos de desespero, como saques a supermercados, afirmou a presidenta Dilma Rousseff nesta sexta-feira (14), ao entregar moradias do Minha Casa Minha Vida em Juazeiro, na Bahia.

“Nos últimos quatro anos, o Nordeste passou por uma das maiores secas históricas do últimos 100 anos. No passado, quando havia seca, havia coisas terríveis. As pessoas tinham problemas para se alimentar, passavam fome. Hoje não passam mais, porque tem Bolsa Família. Hoje você não vê pessoas invadindo supermercados porque não têm o que comer, porque têm os programas sociais do governo”, disse.

Essas políticas incluem também a preocupação com o meio ambiente, para que a população possa conviver com o fenômeno da seca, que se repete sempre no Nordeste, lembrou a presidenta. “Não se combate a seca. Não é possível controlar a seca e fazer chover. A gente convive com a seca. O que significa criar as condições para que, havendo seca, as pessoas não sofram. Podemos fazer cisternas”, exemplificou.

Nessa questão, a presidenta cumprimentou a Articulação Semiárido Brasileiro (ASA), que é parceria do governo federal na construção de cisternas na região. A ASA é uma rede formada por cerca de mil organizações da sociedade civil que atuam na gestão e no desenvolvimento de políticas de convivência com a região semiárida. Por meio dessa parceria, lembrou Dilma, foram construídas mais de um milhão de cisternas no semiárido.

A presidenta também alertou que é necessário olhar com carinho para o Rio São Francisco, que sofre as consequências da estiagem prolongada. “A primeira coisa que temos de fazer no São Francisco, é recuperar as margens rio. Porque um dos fatores de agravamento da seca é a falta da mata ciliar na beira dos rios”.

Ela lembrou também que o governo federal desenvolve o projeto de integração de bacias do São Francisco, para levar água a regiões tradicionalmente afetadas pela seca e que não têm rios perenes. Disse inclusive que voltará ao Nordeste, daqui a duas semanas, para visitar as obras.

“Isso que vai distinguir o meu governo e o do presidente Lula dos outros governos. Nos últimos 13 anos nós olhamos para o Nordeste”, afirmou.

 

Sexta-feira, 14 de agosto de 2015 às 9:05

Dilma entrega moradias que beneficiarão 6 mil pessoas em Juazeiro, na Bahia

Nesta sexta-feira (14), a presidenta Dilma Rousseff estará em Juazeiro (BA) para entregar 1.480 unidades habitacionais construídas por meio do Programa Minha Casa Minha Vida. O empreendimento deve beneficiar quase seis mil pessoas de famílias de baixa renda.

A primeira etapa do Residencial Juazeiro, que será entregue hoje, contou com investimentos de R$ 88,8 milhões. O empreendimento é destinado a famílias com renda de até R$1,6 mil. São casas sobrepostas e cada unidade é dividida em dois quartos, área de circulação, sala, banheiro, cozinha e área de serviço, com piso cerâmico em todos os ambientes. Cada casa está avaliada em R$ 60 mil.

O condomínio possui infraestrutura interna e externa, com água, esgoto, drenagem, pavimentação, urbanização, iluminação pública, energia elétrica e será servido por transporte público. As famílias beneficiadas também contarão com escola municipal, unidade básica de saúde e centro de referência de assistência social, já em funcionamento, e com capacidade para atender cinco mil famílias.

Além das 1.480 unidades entregues nesta sexta, restam ainda 1.500 unidades a serem entregues em outras duas outras etapas do Residencial Juazeiro, totalizando 2.980 moradias, onde serão investidos  R$ 179 milhões. A segunda etapa, com mil casas, está com 98% das obras concluídas, com previsão de entrega ainda este ano. A terceira etapa, com 500 casas, está com 50% das obras adiantadas. A estimativa é beneficiar 12 mil pessoas quando todas as unidades forem entregues.


O prefeito de Juazeiro, Isaac Carvalho, comemora a entrega das casas e os benefícios que os novos moradores terão nas novas residências. “Essas unidades nascem dentro da nossa cidade todas estruturadas. É uma cidade nova sendo construída, planejada e estruturada, com todos os serviços sociais que o cidadão precisa próximo de sua casa”, afirma.

Para Isaac, o Minha Casa Minha Vida é fundamental para garantir moradia digna à população mais carente. “Hoje temos o maior programa habitacional para pessoas de baixa renda em nossa cidade. Temos hoje mais de 11 mil unidades aprovadas; em construção são mais de cinco mil. É a oportunidade de Juazeiro diminuir o seu déficit habitacional. Com esse programa, a presidenta traz para nossa cidade, nossa região, a oportunidade da casa própria, isso é um sonho de muitos brasileiros e que hoje isso está virando realidade”.

Tweets

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-