Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:

Terça-feira, 26 de março de 2013 às 6:00

Agenda: abertura da V Cúpula de Chefes de Estado e de Governo dos BRICS

Agenda presidencialA presidenta Dilma Rousseff chega, nesta terça-feira (26), em Durban (África do Sul), onde participa, às 19h30 (mais 5h em relação ao horário em Brasília) da cerimônia de abertura da V Cúpula de Chefes de Estado e de Governo dos BRICS. Antes, às 18h15, se reúne com o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, que ainda oferece, às 20h45, jantar para os participantes do encontro.

Quinta-feira, 2 de junho de 2011 às 18:57

Brasil e África do Sul defendem solução pacífica para os conflitos na Líbia

Em um telefonema de cerca de 10 minutos, na tarde desta quinta-feira (2/6), a presidenta Dilma Rousseff e o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, defenderam uma solução pacífica para os conflitos na Líbia, informou o porta-voz da Presidência da República, Rodrigo Baena. Os dois países concordaram em se articular no Conselho de Segurança da ONU com o objetivo de buscar uma saída política para a crise no país do Norte da África.

O presidente sul-africano esteve recentemente em Trípoli, a pedido da União Africana, e encontrou-se com o líder da Líbia, Muamar Khadafi. Zuma relatou à presidenta a situação daquele país e manifestou preocupação com a deterioração da situação política e humanitária da Líbia, posição pactuada por Dilma Rousseff.

Os dois presidentes concordam, ainda, que ações desenvolvidas na Líbia que vão além do mandato estabelecido pela resolução 1973 do Conselho de Segurança requerem atenção. A resolução autoriza os estados-membros a tomar “todas as medidas necessárias” para proteger os civis e áreas civis densamente povoadas sob ameaça de ataque na Líbia. A presidenta brasileira citou impactos negativos de ações das potências ocidentais sobre a população líbia, afirmou o porta-voz.

FMI – Outro assunto abordado pelo presidente Jacob Zuma – que tomou a iniciativa do telefonema – foi a sucessão ao cargo de diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI). Ele defende “uma oportunidade” para os países em desenvolvimento no organismo.

A presidenta Dilma lembrou que o Brasil tem sido enfático na necessidade de os países emergentes terem uma posição mais forte em organismos multilaterais e lembrou, que em relação ao FMI, os critérios para a escolha no novo diretor-gerente devem “passar pelo mérito e por um processo aberto e transparente independentemente da nacionalidade do candidato”.

Ao concluir, Zuma disse que a África do Sul está em um processo informal de consulta aos países membros dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) sobre o nome de Trevor Manuel, ex-ministro de finanças daquele país, para uma eventual candidatura ao cargo de diretor-gerente do FMI.

“A presidenta está esperando que o quadro se consolide para tomar uma posição, mas disse que o nome do ex-ministro é bem recebido na medida em que abre o leque de candidaturas e possibilita maior exposição de ideias para a agenda futura do FMI”, concluiu Baena.

Quinta-feira, 14 de abril de 2011 às 18:13

Imagens da III Cúpula BRICS de chefes de Governo e Estado, em Sanya, China

Quinta-feira, 14 de abril de 2011 às 12:29

A reunião ampliada do BRICS, em Sanya, China

Quinta-feira, 14 de abril de 2011 às 12:26

Chefes de Estado e de Governo do BRICS na pose para a foto oficial em Sanya, China

Quinta-feira, 14 de abril de 2011 às 0:12

Papel dos BRICS no cenário internacional marca cúpula em Sanya, na China

O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, o presidente Rússia, Dmitri Medvedev, o presidente da China, Hu Jintao, a presidenta Dilma Rousseff e o presidente da da África do Sul, Jacob Zuma, durante foto oficial da 3ª Cúpula dos BRICs. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Viagens internacionais

Os presidentes do Brasil, Dilma Rousseff; da Rússia, Dmitri Medvedev; da China, Hu Jintao; da África do Sul, Jacob Zuma; além do primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, participam da III Cúpula BRICS – bloco de países emergentes – que ocorre em Sanya, situada a sul de província de Hainan, China. Após foto oficial, os mandatários se encontraram em reunião privada, norteada por quatro assuntos principais: situação político-econômica internacional, quadro econômico mundial pós-crise, cooperação inter BRICS e papel dos países deste bloco na governança internacional

Segundo agenda divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE), após a reunião privada acontecerá reunião ampliada no Hotel Sheraton Sanya Resort.

Por volta de 11h25 (aos 25 minutos de quinta-feira, 14/4, pela hora oficial de Brasília) haverá cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa. Em seguida, os participantes da reunião serão recebidos para um almoço oferecido pelo presidente chinês, Hu Jintao, e logo após audiências individuais com o presidente da África do Sul, Jacob Zuma; o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh; e o primeiro-Ministro da Ucrânia, Mykola Azarov.

Na sexta-feira (15/4), na cidade de Bo’Ao, a presidenta Dilma comparece à cerimônia de abertura do Forum de Bo’Ao. No início da tarde (pelo horário local) segue para Xi’an.

Bandeira da China Clique na bandeira para ver todos os posts da viagem à China.

Quarta-feira, 13 de abril de 2011 às 17:26

Brasil dá boas-vindas à África do Sul na composição dos BRICS

Viagens internacionais

O BRIC – Brasil, Rússia, Índia e China – vai ganhar um S de South Africa, ou melhor, África do Sul para os brasileiros, e passa a se chamar BRICS. A partir da III Cúpula, que acontece na cidade de Sanya, uma ilha chinesa, nesta quinta-feira (13/4), o país africano passa a integrar o bloco de países emergentes. A chegada de mais um participante será comemorada pelo Brasil que, para o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, dá boas-vindas a este mais novo sócio.

“Seguramente o Brasil vai dar as boas-vindas a África do Sul, já que nos coordenamos no IBAS (Índia, Brasil e África do Sul). A África do Sul é um país que estamos bastante familiarizado”, antecipou Patriota ao explicar que a reunião tratará também de temas como G20 e rodada de Doha. E há uma outra vertente neste grupo de países: todos participam atualmente do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Antes de acompanhar a presidenta Dilma Rousseff na viagem para Sanya, quando acontecerá a segunda etapa da visita à China, o chanceler Antonio Patriota concedeu entrevista a repórter Ana Gabriella Sales, da TVNBR – a emissora do governo federal. Durante pouco mais de seis minutos, Patriota avaliou a viagem da presidenta Dilma a este país da Ásia.

“Fui um resultado que só pode ser considerado muito positivo”, iniciou o chanceler ao destacar a participação dos empresários e o interesse do governo chinês pelo incremento do fluxo comercial Brasil-China. Patriota também anunciou que uma delegação de empresários da China virá ao Brasil no próximo mês, com o objetivo de dar continuidade aos acordos comerciais. Isso tudo sem contar com os investimentos de empresas no mercado brasileiro em setores de aviação comercial, ciência e tecnologia da informação.

O ministro brasileiro também contou que os contatos políticos foram bem vistos pelo governo brasileiro. Segundo ele, as audiências com o presidente da Assembleia Popular Nacional, Wu Bangguo, e com o primeiro-ministro Wen Jiabao reforçam a política de parceria defendida pelo governo brasileiro. Além disso, Patriota destacou a declaração conjunta assinada pela presidenta Dilma e o colega chinês Hu Jintao, na reunião ocorrida no dia anterior.

Até a próxima sexta-feira, a agenda a presidenta Dilma contempla os fóruns BRICS e Boao. Devem ocorrer também encontros da presidenta com os presidentes Dmitri Medvedev (Rússia) e Jacob Zuma (África do Sul), além do primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh.

Bandeira da China Clique na bandeira para ver todos os posts da viagem à China.

Sexta-feira, 4 de março de 2011 às 12:02

Itamaraty divulga nota à imprensa sobre conflito nos países árabes

Ministro Antonio Patriota abordou a situação nos países árabes durante visita à China. Foto: Elza Fiúza/ABr-Arquivo

O Ministério das Relações Exteriores divulgou, nesta sexta-feira (4/3), nota à imprensa sobre posicionamento do governo brasileiro diante do conflito nos países árabes. O documento diz que “o governo e o povo brasileiros se solidarizam com as eloquentes manifestações das sociedades no mundo árabe em favor da realização de suas justas aspirações e anseios por maior participação nas decisões políticas, em ambiente democrático, com perspectivas de crescimento econômico e inclusão social, capaz de gerar oportunidades de emprego, liberdade de expressão e dignidade humana”.

A nota informa ainda que o ministro Antonio Patriota, durante visita a Pequim, tratou do tema nas conversas com o ministro de Negócios Estrangeiros da China, Yang Jiechi. Informa ainda que o assunto deverá ser tratado, igualmente, em reunião com o assessor de Segurança Nacional da Índia, embaixador Shiv Shankar Menon, em encontro amanhã, em Nova Delhi. “Além disso, o ministro Patriota tenciona coordenar-se com seus homólogos da Índia e da África do Sul, em reunião Ministerial do IBAS, a realizar-se na capital indiana, em 8 de março, em momento em que os três países têm assento no Conselho de Segurança da ONU”, diz.

Leia o artigo completo »

Quarta-feira, 22 de dezembro de 2010 às 20:58

Com apoio das prefeituras, Brasil pode quintuplicar reciclagem de materiais

O Blog do Planalto esteve nesta quarta-feira (22/12) na ExpoCatadores 2010, que está sendo realizada em São Paulo (SP), para conhecer a evolução que a categoria de catadores de material reciclável teve nos últimos anos no País. O evento, montado no Mart Center, zona norte da capital paulista, reúne desde ontem cerca de 1.500 catadores de todo o País e de sete países latino-americanos (Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Uruguai, Peru e Bolívia) e também África do Sul. Além de palestras, seminários e workshops, os participantes podem conferir as novidades trazidas por dezenas de expositores, entre fabricantes de equipamentos da indústria de reciclagem, cooperativas de catadores de todo o Brasil, universidades e ONGs. A página oficial do evento está transmitindo ao vivo as atividades, confira aqui.

O presidente Lula, juntamente com a presidente eleita Dilma Rousseff e a ministra Márcia Lopes (Desenvolvimento Social e Combate à Fome), participarão, nesta quinta-feira (23/12), do Natal da Vida e Cidadania dos Catadores e da População em Situação de Rua, no espaço onde está sendo realizada a ExpoCatadores, em São Paulo (SP).

Na ExpoCatadores 2010 conhecemos Severino Lima Jr., representante da Articulação Nacional do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, que percorreu os corredores do centro de exposição com o Blog do Planalto e explicou um pouco dos avanços obtidos pela categoria nos últimos anos e como os catadores podem contribuir para colocar o Brasil entre os maiores recicladores de resíduos sólidos do mundo, exportando know-how para outros países, e ajudar outros catadores ao redor do mundo a se organizarem e obter as mesmas vitórias.

Severino, que é de Natal (RN) e atua como catador desde os 12 anos, nos explicou que poucas prefeituras no País apóiam os catadores e registram o material coletado por eles, o que deixa os números brasileiros ainda baixos. “Se forem contabilizados de maneira formal, com os catadores, esses números vão triplicar, quintuplicar até”, diz ele. O Brasil já é campeão mundial na reciclagem de latas de alumínio, graças aos catadores, e essa posição brasileira só é possível porque esses números são registrados oficialmente.

Severino está otimista com o potencial da ExpoCatadores, que tem sua segunda edição este ano, e diz que o evento fortalece a categoria, graças à troca de informações e experiências que ela promove. “O problema que cada estado tem começa a ser dividido”, diz. O Brasil hoje é referência mundial em termos de organização dos catadores, afirma Severino, por seu modelo de articulação. Esse modelo está sendo exportado não só para países latino-americanos mas também africanos e asiáticos, como a Índia, que tem uma situação muito pior do que a brasileira, e a experiência brasileira pode ajudar a todos melhorarem de vida.

Quinta-feira, 23 de setembro de 2010 às 11:53

Brasil defende maior participação de países no Conselho de Segurança da ONU

O chanceler Celso Amorim em discurso por ocasião da abertura da Assembleia Geral da ONU, em Nova York, Estados Unidos. Foto: UN Photo/Rick Bajornas

O Conselho de Segurança da ONU deve ser reformado, de modo a incluir maior participação de países em desenvolvimento, inclusive entre seus membros permanentes, segundo afirmou o ministro Celso Amorim, na abertura da 65ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta quinta-feira (23/9). O chanceler representa o presidente Lula na conferência.

Amorim disse que não é possível continuar com métodos de trabalho pouco transparentes que permitem aos membros permanentes discutirem a portas fechadas e pelo tempo que desejarem assuntos que interessam a toda humanidade. Segundo ele, o Brasil tem procurado corresponder com o que se espera de um integrante de um Conselho de Segurança, mesmo não-permanente, que é contribuir para a paz.

“Ao fazê-lo, nos baseamos em propostas apresentadas como oportunidade ímpar para criar confiança entre as partes. A Declaração de Teerã de 17 de maio, firmada por Brasil, Turquia e Irã, removeu obstáculos que, segundo os próprios autores daquelas propostas, impediam que se chegasse a um acordo. Estamos convictos de que, uma vez de volta à mesa de negociações, as partes encontrarão formas de resolver outras questões. O mundo não pode se permitir o risco de um novo conflito como o do Iraque”, disse.

Leia o artigo completo »

Tweets

Portal da Copa

Portal da Copa

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-