Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:


Segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016 às 13:29

Brasil conta com engajamento da Bulgária para acordo Mercosul-União Europeia

Dilma com presidente da Bulgária

Presidenta Dilma recebe o presidente da Bulgária, Rosen Plevneliev em reunião privada no Palácio do Planalto. Os dois presidente assinaram diversos acordos, na área de Previdência e C&T, entre outros. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidenta Dilma Rousseff recebeu, nesta segunda-feira (1°), o presidente da Bulgária, Rosen Plevneliev, em sua primeira visita oficial de caráter bilateral ao Brasil. Dilma afirmou, em declaração à imprensa, que o Brasil está seguro de poder contar com o apoio e o engajamento da Bulgária para o avanço na negociação de um acordo entre o Mercosul e União Europeia.

“[Esta] visita se enquadra em um contexto de maior aproximação regional, no marco das negociações do Acordo de Associação Mercosul-União Europeia. Juntamente com seus sócios do Mercosul, o Brasil tem todo o interesse em avançar na troca de ofertas e na negociação de um acordo que seja benéfico para nosso Bloco e para a União Europeia. Estamos seguros de poder contar com o apoio e o engajamento da Bulgária nessa direção”, afirmou Dilma.

Após reunião privada, os dois presidentes assinaram acordos em cerimônia pública. Um deles, o Memorando de Entendimento entre o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) e o Ministério da Educação e da Ciência da Bulgária, prevê a aproximação entre as comunidades científicas dos dois países.

“Já contamos com experiências concretas nessas áreas. Na educação, a Bulgária participa do programa Ciência sem Fronteiras; na cooperação antártica, o Brasil presta apoio logístico e de manutenção à base búlgara de St. Kliment Ohridski”, ressaltou Dilma.

Os países assinaram também o Acordo de Cooperação em Previdência Social, que objetiva facilitar a vida de brasileiros residentes na Bulgária e de búlgaros residentes no Brasil. A presidenta afirmou ainda que está sendo negociado o Acordo para Transferência de Pessoas Condenadas, que deve aumentar a cooperação jurídica bilateral. Dilma lembrou também que a visita tem um significado especial para ela, por conta de sua ascendência búlgara.

 Agenda bilateral e global
Na reunião, realizada nesta manhã no Palácio do Planalto, os presidentes passaram em revista os principais pontos da agenda comum. Discutiram formas de revigorar os fluxos comerciais e definiram uma reunião da Comissão Intergovernamental de Cooperação Econômica sobre possibilidades de investimentos e de diversificação de comércio. Durante a visita búlgara, também serão realizados eventos empresariais na Confederação Nacional da Indústria (CNI) e na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Sobre a agenda global, os presidentes trataram sobre a crise dos refugiados, que envolve a Europa, o Norte da África, a Ásia Central e o Oriente Médio, e exige soluções coletivas por parte da comunidade internacional. “Convergimos sobre a necessidade de que se encontre solução política e abrangente para o conflito na Síria”, disse a presidenta. Sobre o Conselho de Segurança da ONU, os presidentes retomaram as conversações sobre o imperativo de uma reforma para alcançar ações mais eficazes e representativas.

 Relações entre os países
Em 2011, a presidenta Dilma realizou a primeira visita de um chefe de Estado brasileiro à Bulgária e expressou o desejo brasileiro de aumentar a cooperação bilateral em temas sociais, na área agrícola, em biocombustíveis e no intercâmbio estudantil. Na ocasião, realizou-se o I Fórum Empresarial Brasil-Bulgária e assinou-se Acordo de Cooperação Econômica. Em 2012, o presidente búlgaro esteve no Brasil por ocasião da Rio+20.

A Bulgária tem apoiado candidaturas brasileiras em organizações internacionais, multilaterais, em especial na área de direitos humanos. O governo brasileiro também apoiou diversas candidaturas búlgaras em órgãos multilaterais.

Em 2012, o comércio bilateral registrou o maior volume de sua série histórica, atingindo US$ 438,9 milhões – o que representa aumento de 55% em relação ao ano anterior. A aquisição de jatos da Embraer por uma companhia aérea búlgara foi o principal fator para esse resultado positivo. Ainda naquele ano, o Brasil prestou ajuda financeira e doou mantimentos para apoiar a população búlgara afetada pelas fortes enchentes ocorridas no sul do país.

Imprima:Imprimir

Posts Relacionados

Blogue sobre isso

Achou este artigo interessante?

1) Acesse o seu blog e crie num novo post:

(se você não tem um blog, pode criar o seu, utilizando um destes serviços)

2) Use a URL abaixo para pingback/trackback:

3) Rascunhe aqui seu post.

(depois basta copiar e colar no seu blog)

Respostas em blog

Não existem respostas em blog deste artigo. Quer ser o primeiro a blogar este artigo?

Tweets

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-