Portal do Governo Brasileiro

Tamanho da fonte:


Domingo, 21 de dezembro de 2014 às 10:00  

Semana do Planalto: MST, posse da CNA, oficiais-generais, Cúpula do Mercosul e diplomação

Domingo, 21 de dezembro de 2014 às 10:00  

Semana em imagens: MST, posse da CNA, oficiais-generais promovidos, Mercosul e diplomação

Sábado, 20 de dezembro de 2014 às 10:57   (Última atualização: 20/12/2014 às 11:00:59)

Presidenta Dilma parabeniza o surfista Gabriel Medina pelo Twitter

Twitter

A presidenta Dilma Rousseff usou seu perfil no Twitter na noite dessa sexta-feira (19) para parabenizar o surfista Gabriel Medina pelo campeonato mundial de surfe. Dilma classificou o atleta como “orgulho do Brasil”, ele que foi o primeiro brasileiro campeão mundial no esporte.

Medina conquistou o título ontem, no Round 5 do WCT Pipe Masters, realizado em Pipeline, no Havaí.

 

Sábado, 20 de dezembro de 2014 às 10:00  

Governo concedeu R$ 77,8 bilhões de isenções de impostos ao setor produtivo em 2013

O governo federal abriu mão de uma arrecadação de R$ 77,8 bilhões em 2013, ante R$ 46,5 bilhões em 2012. Com isso, o volume do dinheiro que deixou de entrar nos cofres públicos aumentou em R$ 31,33 bilhões em relação à renúncia fiscal do ano anterior. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (19), pela Secretaria da Receita Federal.

Governo_isentou77.8bi_industria

O aumento ocorreu principalmente porque a União elevou o número de setores beneficiados pela desoneração da folha de pagamento das empresas, reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre automóveis e itens da chamada linha branca (fogões, geladeiras e máquinas de lavar) e diminuiu o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre operações de crédito.

Além dessas, as desonerações autorizadas pelo governo incluem os produtos da cesta básica, a Cide dos combustíveis e a correção da tabela do Simples Nacional, entre outros.

Por outro lado, o governo arrecadou em 2013 os tributos devidos pelas empresas em anos anteriores, por meio do Refis da Crise, que gerou uma receita de R$ 21,78 bilhões a mais. Sem esses parcelamentos, a carga tributária do País teria registrado uma redução, ao invés de aumento.

Sexta-feira, 19 de dezembro de 2014 às 20:00  

Whatsapp é o grande desafio para quem produz notícia, avalia Thomas Traumann

O Whatsapp é o grande desafio porque é completamente novo, foi o que declarou o ministro da Secom, Thomas Traumann, ao avaliar o grau de confiança do brasileiro em informações divulgadas nas novas mídias. A confiabilidade dos veículos de comunicação foi um dos dados revelados pela Pesquisa Brasileira de Mídia 2015 (PBM 2015).

Foto: Iano Andrade - Gabinete Digital/PR.

Ministro Thomas Traumann em apresentação da PBM 2015. Foto: Iano Andrade – Gabinete Digital/PR.

Em entrevista exclusiva ao Blog do Planalto, o ministro destacou que o tempo médio que o brasileiro passa na internet é maior que nos outros veículos, o que se firma como tendência. Apesar disso, a confiança ainda é maior para o meio jornal, seguindo de TV, rádio e revista.

“O Whatsapp é o grande desafio, porque é uma coisa completamente nova. Não é como o Facebook, ou como o Twitter. [Quem recebe a mensagem] não sabe de onde está vindo aquela informação: de onde ela veio? Quem mandou primeiro? São coisas que o Whatsapp ainda não resolveu. Então esse é um desafio que quem produz notícia, quem produz publicidade, vai ter que enfrentar”, analisou.

Traumann destacou também os objetivos de se realizar a PBM. Apontou que primeiramente ela permite identificar como o brasileiro se informa, por meio de que veículos de comunicação. Esse dado, de acordo com ele, é fundamental para o desenho da estratégia do governo no papel informar a sociedade.

“A TV continua sendo o principal meio, mas cada vez mais as pessoas se informam via internet. Hoje, o brasileiro gasta por dia 5h navegando. Isso é um número recorde, um número que a gente nunca tinha visto, nenhuma pesquisa mostrou isso anteriormente. Ou seja, o brasileiro hoje passa mais tampo na internet do que passa assistindo TV, ouvindo rádio ou qualquer outra coisa. Isso mostra que para nós como governo, nós temos que investir mais na internet, entender melhor como a pessoa recebe essas informações e conseguir achar o melhor meio de fazer isso”, explicou.

Além disso, o investimento do governo em publicidade também será direcionado de acordo com os dados revelados pela pesquisa. “Você tem a TV como o maior de todos, a internet crescendo e o rádio ainda como o segundo meio de comunicação mais utilizado. Então a gente vai ter que fazer um balanço em relação a esses três veículos, esses três meios como os meios principais do nosso investimento publicitário”, disse.

Por fim, Thomas Traumann ressaltou que a pesquisa também é útil para o mercado, visto que seu resultado é disponibilizado na íntegra no site da Secom. “A partir de hoje qualquer brasileiro pode ter acesso a todos os detalhes da pesquisa, o volume inteiro de mais de 200, para que cada um possa entender exatamente como o brasileiro está se informando”, concluiu.

Sexta-feira, 19 de dezembro de 2014 às 18:45   (Última atualização: 20/12/2014 às 11:34:15)

Parto é o serviços do SUS mais procurado por usuários de planos de saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e o Ministério da Saúde divulgaram, nessa semana, um mapeamento inédito sobre operações de ressarcimento ao SUS. A análise das notificações registradas entre 2008 e 2012 mostra que as mulheres representam 58,1% dos atendimentos e os partos (normais e cesáreas) lideram a lista de procedimentos mais procurados. A análise mostra o perfil dos usuários e procedimentos realizados, oferecendo um panorama detalhado das situações em que as pessoas com planos de saúde mais recorreram ao SUS no período.

Análise revela situações em que pessoas com planos de saúde mais recorreram ao SUS. Foto: Rondon Vellozo/Ministério da Saúde

Análise revela situações em que pessoas com planos de saúde mais recorreram ao SUS. Foto: Rondon Vellozo/Ministério da Saúde.

De acordo com o ministro da Saúde, Arthur Chioro, o mapa permitirá que o governo planeje estrategicamente a rede de serviços de saúde oferecida aos pacientes do SUS. “A informação de quantos são beneficiários de planos de saúde e quanto destes acabam utilizando o serviço público, por situações de urgência ou eletivas, permitirá atender mais e melhor a população brasileira, tanto usuária dos planos de saúde quanto do SUS”, afirmou o ministro. Na ocasião, foi apresentado ainda conjunto de medidas que visa fortalecer a integração da saúde pública e suplementar, permitindo a ampliação do atendimento na rede pública de saúde.

Entre janeiro e novembro de 2014, o valor arrecadado pelo Ministério da Saúde, por meio da ANS, para o ressarcimento ao Sistema Único de Saúde, foi de R$ 335,74 milhões, 82% maior do arrecadado em 2013. Essa compensação ocorre quando os consumidores dos planos de saúde são atendidos na rede pública. Os pagamentos efetuados para a agência reguladora são repassados ao Fundo Nacional de Saúde (FNS) e aplicados em ações e programas estratégicos do Ministério da Saúde.

O volume de recursos ressarcidos ao SUS cresceu devido à intensificação da cobrança realizada pela ANS. O resultado deve-se ao constante aprimoramento dos processos de gestão e à contratação de novos servidores para agilizar o ressarcimento.

Perfil
Nos quatro anos analisados houve 1.224.114 notificações de Autorização de Internação Hospitalar (AIH). Entre os procedimentos mais procurados, partos (normal e cesárea) ocuparam o primeiro lugar, seguido de tratamento para pneumonia ou gripe e diagnóstico e/ou atendimento de urgência em clínica médica. Os atendimentos de urgência e emergência predominaram, representando 68,46% do total, enquanto os eletivos atingiram 30,3%.

As mulheres são maioria entre os usuários de planos de saúde que procuraram o SUS: 58,1%. Em relação à faixa etária, jovens entre 25 e 34 anos compreendem a maior parte dos beneficiários atendidos. A maioria das notificações ocorreu em entidades beneficentes sem fins lucrativos.

Com essas informações, poderemos conhecer melhor a realidade das pessoas e intervir no sistema regulatório para que as operadoras de planos de saúde atendam com eficiência a todos os seus beneficiários, melhorando a assistência à saúde prestada pela Saúde Suplementar”, destacou o diretor-presidente da ANS, André Longo. “Esse trabalho faz parte de um processo de aperfeiçoamento contínuo do ressarcimento e dos mecanismos regulatórios da ANS, que têm obtido resultados cada vez mais significativos”, completou.

A região Sudeste apresenta o maior volume de atendimentos (62,97%), seguida da região Nordeste (14,09%), Sul (13,7%), Centro-Oeste (5,44%) e Norte (3,79%). São Paulo (43,84%), Minas Gerais (9,89%), Rio de Janeiro (7,20%), Paraná (5,90%) e Rio Grande do Sul (4,34%) lideram as notificações.

Fonte: Ministério da Saúde.

Sexta-feira, 19 de dezembro de 2014 às 13:00  

“Diplomação revela a democracia plena que nós vivemos hoje no Brasil”, afirma Michel Temer

O vice-presidente Michel Temer, falou com exclusividade ao Blog do Planalto após a solenidade de diplomação nessa quinta-feira (18). Ele ressaltou que a cerimônia de diplomação ratifica a escolha do povo brasileiro, que o reconduziu ao cargo ao lado da presidenta Dilma Rousseff.

“O ato de hoje é um reconhecimento formal do que aconteceu na eleição para que nós possamos tomar posse no dia 1º de janeiro. Eu diria, sem ser piegas, que foi uma festa democrática”, afirmou Michel Temer.

A fala do vice-presidente ratifica o discurso da presidenta Dilma na diplomação, de que uma eleição democrática não é uma guerra, pois não produz vencidos.

“O povo, na sua sabedoria, escolhe quem ele quer que governe e quem ele quer que seja oposição. (…) Cabe a quem foi escolhido para governar, governar bem. Cabe a quem foi escolhido para ser oposição, exercer da melhor forma possível o seu papel”, afirmou a presidenta.

Sexta-feira, 19 de dezembro de 2014 às 11:34   (Última atualização: 19/12/2014 às 16:15:48)

Brasileiros ficam mais tempo conectados que assistindo TV, diz Pesquisa Brasileira de Mídia 2015

Maior levantamento sobre os hábitos de informação dos brasileiros, a Pesquisa Brasileira de Mídia 2015 (PBM 2015) confirma que brasileiros passam mais tempo navegando na internet do que assistindo TV. No entanto os dados mostram a televisão ainda como meio de comunicação predominante (maioria dos entrevistados diz assistir); o rádio continua o segundo meio de comunicação mais utilizado pelos brasileiros; e os jornais são os veículos mais confiáveis. Os dados foram apresentados pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), nesta sexta-feira (19), no Palácio do Planalto.

Durante apresentação da PBM 2015, ministro Thomas Traumann destacou que o brasileiro tem migrado de forma consolidada para os meios digitais. Foto: Iano Andrade - Gabinete Digital/PR.

Durante apresentação da PBM 2015, ministro Thomas Traumann destacou que o brasileiro tem migrado de forma consolidada para os meios digitais. Foto: Iano Andrade – Gabinete Digital/PR.

Os usuários de internet ficam conectados, em média, 4h59 por dia durante a semana e 4h24 nos finais de semana, superior ao tempo médio que brasileiros ficam expostos ao televisor, respectivamente 4h31 e 4h14. Praticamente a metade dos brasileiros, 48%, usa internet. O percentual de pessoas que a utilizam todos os dias cresceu de 26% na PBM 2014 para 37% na PBM 2015. O hábito de uso da internet também é mais intenso do que o obtido anteriormente. De acordo com a pesquisa de 2014, o tempo médio conectado era 3h39 por dia durante a semana e 3h43 nos finais de semana.

“Uma função dessa pesquisa é orientar a aplicação dos recursos do governo em publicidade. Tem que levar em consideração que a internet cresce como meio de comunicação mais utilizado, que os jornais são mais confiáveis, mas têm uma penetração menor. Que a TV tem um alcance gigante, mas capta menos a atenção das pessoas, todas essas informações serão levadas em consideração”, disse o ministro da Secom, Thomas Traumann.

Mais do que as diferenças regionais, são a escolaridade e a idade dos entrevistados os fatores que impulsionam a frequência e a intensidade do uso da internet no Brasil. Entre usuários com ensino superior, 72% acessam à internet todos os dias, com uma intensidade média diária de 5h41, de 2ª a 6ª-feira. Entre as pessoas com até a 4ª série, os números caem para 5% e 3h22. Na faixa de 16 a 25, 65% dos jovens se conectam todos os dias, em média 5h51 durante a semana, contra 4% e 2h53 dos usuários com 65 anos ou mais.

O uso de telefones celulares para acessar a internet já compete com o uso por meio de computadores ou notebooks, 66% e 71%, respectivamente. O uso de redes sociais influencia esse resultado. Entre os internautas, 92% estão conectados por meio de redes sociais, sendo as mais utilizadas o Facebook (83%), o Whatsapp (58%) e o Youtube (17%).

Televisão
Apesar do tempo médio conectado na internet ser maior, a televisão segue como meio de comunicação mais utilizado pela população. De acordo com a pesquisa, 95% dos entrevistados afirmaram ver TV, sendo que 73% têm o hábito de assistir diariamente. O tempo que o brasileiro passa exposto ao televisor diariamente também cresceu em relação à PBM 2014 que eram 3h29 de 2ª a 6ª-feira, e 3h32 nos finais de semana (4h31 e 4h14, respectivamente na PBM 2015).

Rádio
O rádio continua o segundo meio de comunicação mais utilizado pelos brasileiros, mas seu uso caiu na comparação entre a PBM 2014 para a PBM 2015, de 61% para 55%. Em compensação, aumentou a quantidade de entrevistados que dizem ouvir rádio todos os dias, de 21% em 2014 para 30% em 2015.

Jornais e revistas
Permaneceu estável o percentual de brasileiros que leem jornais ao menos uma vez por semana entre as duas rodadas da PBM: 21%. Apenas 7% leem diariamente, sendo a 2ª-feira o dia da semana mais mencionado pelos leitores (48%). A escolaridade e a renda dos entrevistados são os fatores que mais aumentam a exposição aos jornais: 15% dos leitores com ensino superior e renda acima de cinco salários mínimos leem jornal todos os dias. Entre os leitores com até a 4ª série e renda menor que um salário mínimo, os números são 4% e 3%.

O uso de plataformas digitais de leitura de jornais ainda é baixo: 79% dos leitores afirmam fazê-lo mais na versão impressa, e 10% em versões digitais.

Foi detectado cenário semelhante ao dos jornais em relação às revistas: 13% dos brasileiros leem revistas durante a semana, número que cresce com aumento da escolaridade e da renda dos entrevistados. Versões impressas (70%) são mais lidas do que versões digitais (12%).

Mesmo que sejam baixas a frequência e a intensidade de leitura de jornais e revistas, eles são os meios de comunicação com maior nível de atenção exclusiva. Entre os leitores de jornal, 50% disseram não fazer nenhuma outra atividade enquanto o consome. Entre os de revista, 46%.

Comunicação de governo
Dentre as formas oficiais de comunicação do Governo Federal, o programa “A Voz do Brasil” é a mais conhecida pelos brasileiros: 57%. Além disso, o conteúdo do programa é bem avaliado por quem o conhece: 45% consideram-no “ótimo ou bom”; 20%, “regular”, e 12%, “ruim ou péssimo”.

Índice de confiança
Cresceu a confiança dos brasileiros nas notícias veiculadas nos diferentes meios de comunicação. Os jornais continuam como os mais confiáveis: 58% confiam muito ou sempre, contra 40% que confiam pouco ou nunca. Na PBM 2014, esses valores eram de 53% e 45%. Televisão e rádio têm nível de confiança similares. No caso da TV, 54% confiam muito ou sempre, contra 45% que confiam pouco ou nada. No caso do rádio, 52% confiam muito ou sempre, contra 46% que confiam pouco ou nunca.

Dentre os veículos tradicionais, a revista é o único que inverte essa equação: 44% confiam muito ou sempre, contra 52% que confiam pouco ou nunca.

Já em relação às novas mídias, a desconfiança predomina. Respectivamente, 71%, 69% e 67% dos entrevistados disserem confiar pouco ou nada nas notícias veiculadas nas redes sociais, blogs e sites.

PBM 2015
Encomendada pela Secom, a PBM 2015 foi realizada pelo Ibope com mais de 18 mil entrevistas entre 5 e 22 de novembro de 2014, por meio de entrevistas domiciliares. Como principal característica, manteve-se a representatividade nacional da pesquisa de 2014, com uma amostra que retrata adequadamente cada um dos 26 estados e o Distrito Federal.

Veja a apresentação do ministro Thomas Trauman sobre PBM 2015

Sexta-feira, 19 de dezembro de 2014 às 9:00  

Vencedora do Prêmio Direitos Humanos, estudante evitou que linchamento tivesse graves resultados

Brasilidade Mikhaila Blog

Quinta-feira, 18 de dezembro de 2014 às 21:58   (Última atualização: 18/12/2014 às 22:45:19)

Presidenta Dilma: uma eleição democrática não é uma guerra, não produz vencidos

Presidenta Dilma Rousseff recebe seu diploma do presidente do TSE, ministro Dias Toffoli. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.

Dilma recebe seu diploma do presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Dias Toffoli. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.

Diplomada nesta quinta-feira (18) para o próximo mandato à frente do Executivo federal, a presidenta Dilma Rousseff afirmou que o processo eleitoral brasileiro tem sido uma “prova permanente” da solidez da democracia brasileira.

“É da própria natureza da disputa eleitoral resultar em vitória e resultar em derrota. Mas como uma eleição democrática não é uma guerra, ela não produz vencidos. O povo, na sua sabedoria, escolhe quem ele quer que governe e quem ele quer que seja oposição. Simples assim”, afirmou Dilma, em seu discurso.

“Cabe a quem foi escolhido para governar, governar bem. Cabe a quem foi escolhido para ser oposição, exercer da melhor forma possível o seu papel”, reforçou.

Compromissos
Durante a solenidade, a presidenta enfatizou a continuidade dos compromissos de seu governo com políticas sociais e com o crescimento sustentado.

“O que mais quero oferecer ao meu país é a luta renovada por justiça social, educação de qualidade, igualdade de oportunidades, estabilidade econômica e política, e compromisso com a ética. Justiça social fundada na luta pela redução da desigualdade, pela distribuição de renda, garantia do emprego, do salário e dos direitos da pessoa humana e os direitos sociais”, destacou Dilma.

“Estabilidade fundada no crescimento sustentado, no controle da inflação, no crescimento que vai se acelerar mais rápido do que alguns imaginam. Governabilidade estruturada na maioria sólida no Congresso Nacional e na participação popular. Compromisso com a ética espelhado, em primeiro lugar, no exemplo de integridade e de honestidade pessoal; e, a partir deste patamar, concretizado na determinação de apurar e punir todo tipo de irregularidades e malfeitos”, afirmou a presidenta.

Diplomação
A cerimônia de diplomação é uma etapa indispensável para que os candidatos eleitos possam tomar posse nos cargos que disputaram nas urnas. Ela confirma que o político escolhido pelos eleitores cumpriu todas as formalidades previstas na legislação eleitoral e está apto a exercer o mandato. A presidenta Dilma Rousseff e o vice-presidente Michel Temer foram diplomados para cumprir mandatos de 2015 a 2018.

Tweets

Instagram

Por e-mail

Receba os artigos do Blog do Planalto diariamente por e-mail preenchendo os campos abaixo:

Digite o seu e-mail:


Um e-mail de confirmação do FeedBurner&trade será enviado para você! Confirme no link que será enviado para o seu e-mail para receber os últimos artigos do Blog do Planalto.

-